Fifa reitera combate a ingressos de cambistas na Copa

Thierry Weil, diretor de marketing da entidade, afirmou que torcedores poderão ser barrados nas catracas se estiverem com bilhetes irregulares

iG Minas Gerais | AGÊNCIA ESTADO |

Cerca de 77% das solicitações de bilhetes são de brasileiros, ou seja, mais de 3,4 milhões de entradas
Divulgação/Fifa
Cerca de 77% das solicitações de bilhetes são de brasileiros, ou seja, mais de 3,4 milhões de entradas

A Fifa voltou a ameaçar torcedores que adquiriram ingressos da Copa do Mundo fora do site da entidade, única fonte oficial de venda de bilhetes. Nesta sexta-feira, o diretor de marketing, Thierry Weil, avisou que torcedores poderão até ser barrados nas catracas dos estádios do Mundial caso apresentem ingressos irregulares.

"É muito provável que torcedores sejam barrados nas catracas", ameaçou Weil, sem dar detalhes de como a Fifa pretende diferenciar os ingressos comprados do site oficial e de cambistas. O dirigente antecipou apenas que todos os 12 estádios vão contar com um "centro de averiguação de ingresso" para avaliar qualquer problema nos bilhetes, principalmente em relação à falsificação.

Weil, no entanto, admitiu a dificuldade de fazer o controle dos ingressos na entrada dos jogos. "Provavelmente não vamos conseguir apanhar todo mundo em dias de jogos, nossa atuação é conjunto com o governo", afirmou o diretor responsável pela venda e distribuição das entradas. Mas repetiu que ingressos irregulares serão cancelados.

O dirigente disse ainda nesta sexta que a nova etapa de venda de bilhetes poderão contemplar eventuais jogos da seleção brasileira na fase de mata-mata da Copa. Esta possibilidade foi aberta graças à definição de todos os assentos dos estádios de Cuiabá, Curitiba, São Paulo e Porto Alegre, os últimos a confirmarem o número de lugares em suas arenas.

Com estes números confirmados, a Fifa já sabe quantos ingressos ainda estarão disponíveis para compra no dia 1º de junho, data de início da nova etapa de vendas. Apesar disso, Weil não revelou o número disponível em cada jogo.

O diretor de marketing revelou também que a entidade enfrentou problemas para entregar 138 ingressos - 100 comprados por torcedores do exterior e 38, do Brasil. Weil reconheceu que houve falha na distribuição, porém não forneceu detalhes. E garantiu que a Fifa está atuando diretamente e individualmente em cada caso para assegurar a entrega dos bilhetes.

Leia tudo sobre: fifacambistasingressostorcedorescopa do mundocopa no brasilthierry weilestádiosmundialcontrole