Genoma humano chegará a US$ 1000 ainda neste ano

À medida que os preços continuarem a cair, a expectativa é que o sequenciamento se torne um procedimento de rotina na prática médica - como já é para a ciência básica

iG Minas Gerais | DA REDAÇÃO |

Contínuo. 
Em vários estudos que estão sendo feitos, cientistas têm descoberto que é muito comum um indivíduo ter vários genomas
Greg Baker
Contínuo. Em vários estudos que estão sendo feitos, cientistas têm descoberto que é muito comum um indivíduo ter vários genomas

O custo de sequenciar um genoma humano deverá atingir a "mítica" marca de US$ 1000 até o final deste ano, segundo o diretor dos Institutos Nacionais de Saúde dos Estados Unidos (NIH), Francis Collins - que, entre 1990 e 2003, liderou o consórcio internacional que sequenciou todo o DNA humano pela primeira vez dando início à "era da genômica" na biomedicina.

O custo daquele primeiro genoma, segundo Collins, foi de US$ 100 milhões. Hoje, já baixou para US$ 10 mil, "e os avanços tecnológicos nessa área não param", destacou ele, em palestra para um auditório lotado de cientistas ontem, na sede da Fapesp.

À medida que os preços continuarem a cair, a expectativa é que o sequenciamento se torne um procedimento de rotina na prática médica - como já é para a ciência básica.

"Não há quase nada que se faça em biologia hoje que não utilize o sequenciamento de DNA como ferramenta de pesquisa", observou Collins. Criar dados genéticos, portanto, está cada vez mais fácil, rápido e barato. O grande desafio, segundo ele, ainda é dar sentido e aplicação clínica a todas essas informações. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Agência Estado  

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave