Bellucci fará estreia contra alemão em Roland Garros

Enquanto primeiro jogo será diante de jogador de menor expressão, o segundo pode ser contra Fabio Fognini, 15º do ranking mundial

iG Minas Gerais | AGÊNCIA ESTADO |

Thomaz Bellucci lutou bastante, mas não conseguiu passar para a final do Brasil Open
DIVULGAÇÃO/BRASIL OPEN
Thomaz Bellucci lutou bastante, mas não conseguiu passar para a final do Brasil Open

Os organizadores do Torneio de Roland Garros definiram nesta sexta-feira os confrontos da primeira rodada e as chaves do tradicional Grand Slam francês, que terá início no domingo. E o brasileiro Thomaz Bellucci teve motivos para comemorar e lamentar ao conhecer seus possíveis adversários no saibro parisiense.

O número 1 do Brasil fará sua estreia contra o alemão Benjamin Becker, que nunca obteve grandes resultados na terra batida. Se vencer, Bellucci então terá uma tarefa complicada pela frente. Seu possível rival será o italiano Fabio Fognini, atual número 15 do mundo e um dos cabeças de chave da competição.

Caso supere o favorito, o brasileiro poderá cruzar com o local Gael Monfils. Ele busca igualar a melhor campanha em Paris, obtida em 2010, quando foi até as oitavas de final. No momento, Bellucci é o único representante do País na chave principal de simples. Ele poderá ter a companhia de André Ghem, que disputará nesta sexta a última rodada do qualifying. Se vencer, entrará na chave em posição ainda definida.

Entre os favoritos ao título, o espanhol Rafael Nadal terá em seu caminho em busca do nono título dois rivais complicados: os compatriotas Nicolas Almagro e David Ferrer. Ambos já venceram o número 1 do mundo nesta temporada europeia no saibro, em Barcelona e Montecarlo, respectivamente.

Ferrer, derrotado por Nadal na final do ano passado, poderá cruzar novamente com o favorito nas quartas de final. Almagro, por sua vez, tem chances de ser o adversário das oitavas de final. O dono de oito títulos em Roland Garros ainda está no mesmo lado da chave do suíço Stan Wawrinka, seu algoz na final do Aberto da Austrália, e o escocês Andy Murray.

A chave é considerada difícil não apenas pela qualidade dos rivais, mas também em razão da queda de rendimento de Nadal nos últimos meses. O chamado "Rei do Saibro" sofreu três derrotas neste giro pelo saibro, o que não acontecia há 10 anos. E não vem convencendo os torcedores e críticos.

Seu maior desafio deverá ser o sérvio Novak Djokovic, de quem perdeu os últimos quatro jogos, o mais recente em Roma, no domingo passado. Um eventual confronto entre os dois tenistas acontecerá somente na final. O sérvio estreará contra o português João Sousa e só deve ter dificuldade na terceira rodada, contra o local Jo-Wilfried Tsonga. Depois, poderá encarar o japonês Kei Nishikori, nas quartas, e o suíço Roger Federer, na semifinal.

Federer, que pouco brilhou no saibro nesta temporada, jogará na primeira rodada contra o eslovaco Lukas Lacko. Depois, vai enfrentar um tenista do qualifying. Seu maior desafio deverá ser o checo Tomas Berdych nas quartas de final. Andy Murray, por sua vez, vai estrear contra o casaque Andrey Golubev, enquanto Wawrinka duelará contra o espanhol Guillermo Garcia-Lopez na rodada de abertura.

Leia tudo sobre: roland garrosbelluccibrasileirotênismurraynadaldjokovicfabio fognini