“Eu tenho 27 anos e esse é o meu terceiro golpe”

EiDrovanov Pradubmook Tailandesa Moradora de Bangcoc

iG Minas Gerais | Flávia Denise |

Como está a situação na Tailândia?

Um “Coup d’etat” (golpe de Estado) está ocorrendo. E muitos do cidadãos estão apoiando essa ação. Há soldados em toda esquina, e os tailandeses estão fazendo selfies (foto com celular) com eles. Eu tenho 27 anos e esse é o meu terceiro golpe.

O golpe já começou a afetar a vida no país?

Para mim, sim. Eles tiraram o meu direito de votar. Esse é um direito humano básico que eu deveria ter. Eu sinto como se estivesse morando na Coreia do Norte. E eu trabalho na bolsa de valores. A Tailândia é um país em desenvolvimento que precisa do fluxo de capital de investidores estrangeiros. Com o golpe, investidores vão levar seu dinheiro para um país mais pacífico.

O que você acha que é necessário para quebrar a tradição de golpes de Estado no país?

Educação. As pessoas aqui são forçadas a estudar uma versão distorcida da política. Aos 4 anos de idade eu sabia falar: “Eu amo o rei, o país e a religião”. Eu não sabia nada sobre o rei, mas “sabia” que ele trabalha duro e é um homem bom. Propaganda política é o melhor método de moldar as pessoas por aqui. 

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave