Mais irregularidades recaem sobre secretário da Infância

Geraldo Magela emprega cunhada como assessora e aluga carro da própria filha

iG Minas Gerais | Da Redação |

Entenda o caso
Editoria de Arte/O Tempo Betim
Entenda o caso

O secretário municipal da Infância, Geraldo Magela Diniz Santos, o Dinho, desfruta de privilégios na Prefeitura de Betim que vão bem além de um contrato de aluguel ilegal de uma casa de sua propriedade, no bairro PTB, assinado com a prefeitura, conforme denúncia feita por servidores públicos e divulgada por reportagem de O Tempo Betim veiculada na semana passada.

Ele também utiliza sua posição privilegiada no governo para beneficiar familiares próximos, não levando em conta a “lei do nepotismo”, que deveria impedir o prefeito e secretários municipais de empregarem parentes com recursos dos cofres públicos. A reportagem esteve nesta semana na Secretaria Municipal da Infância e comprovou que Fani Aparecida Torres Santos, cunhada do secretário, trabalha no local, onde desempenha função de secretária particular de Dinho das 8h às 17h.

Fani foi nomeada irregularmente para o cargo de assessora pedagógica de ensino da Secretaria Municipal Adjunta da Infância no dia 1º de maio, com efeito retroativo a 1º de abril. Para a função, ela receberia um salário de R$ 2.837,07. Conforme informado pela assessoria de imprensa da prefeitura, Fani foi exonerada uma semana depois da nomeação, porém, até a última quarta-feira (21), era ela quem despachava e marcava reuniões para Dinho dentro da Secretaria de Infância. Para escapar da mira do Ministério Público e esconder a prática de nepotismo, a cunhada do secretário teria sido exonerada do cargo na prefeitura e recontratada de forma irregular através de uma ONG. “Ele (Dinho) preferiu colocá-la em contratos com entidades para não chamar a atenção das pessoas”, afirma um servidor que trabalha junto com Fani.

Para o especialista em direito público Leonardo Militão, “o nepotismo é uma prática que pode resultar em ação de improbidade administrativa do prefeito e do secretário que realizam esse tipo de contratação”. Nesse caso, o Ministério Público deve agir contra os responsáveis.

Além da cunhada, a própria filha de Dinho, Nailla Moreira Diniz Lopes, também desfruta das regalias do poder e da farra dos aluguéis que existem dentro da Prefeitura de Betim.

O dinheiro que sai dos bolsos dos contribuintes serve para alugar, desde o ano passado, um carro que Nailla, supostamente, deixa à disposição da Secretaria Municipal de Governo (Segov), pasta que, até o início do ano, era comandada pelo próprio Dinho. O contrato de aluguel do Uno Mille de placa com final 0406 foi renovado pela prefeitura no início deste ano, através da cooperativa Coopcar. [NORMAL]Desde o início do governo atual, a filha do secretário já recebeu R$ 46.463,38 pelo aluguel do carro por 17 meses. 

Exoneração  Dinho foi exonerado do cargo de secretário de Governo, em janeiro deste ano, pelo prefeito interino Waldir Teixeira (PV) a pedido do próprio prefeito Carlaile Pedrosa (PSDB), que, ao voltar de licença médica, mudou de ideia e decidiu nomeá-lo como secretário-adjunto de Infância. À frente da pasta, Dinho, até o momento, não conseguiu aprovar projetos nem iniciou a construção de creches.

Enquanto isso, 23 mil crianças carentes de Betim estão fora da educação infantil. O secretário escolhido para dar fim a esse déficit ocupa grande parte de seu tempo administrando os contratos ilegais que mantém com o governo. Na semana passada, ele mesmo disse que iria entregar a casa alugada para a prefeitura, mas, até o fechamento desta edição, a administração ainda arcava com a ilegalidade. Resta saber se o carro da filha e o emprego da cunhada também continuarão sendo tratados como problemas pertinentes à pasta da Infância.

Resposta Segundo a assessoria de imprensa da prefeitura, Fani presta serviço voluntário à administração, apesar de ficar o dia inteiro na secretaria. De acordo com a nota, a prestação do serviço será finalizada no dia 12 de junho. Segundo a prefeitura, o contrato com a filha de Dinho foi encerrado agora, em maio, após a denúncia. 

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave