Produção de morango pode cair 30% em Minas

Falta de chuva nas cidades do sul do Estado reduziu a área de plantio da fruta

iG Minas Gerais | da redação |

Prejuízos. Em Estiva, no Sul do Estado, área plantada da fruta diminuiu cer ca de 30% neste ano
Emater MG - Estiva / Divulgacao
Prejuízos. Em Estiva, no Sul do Estado, área plantada da fruta diminuiu cer ca de 30% neste ano

A safra de morango pode ser até 30% menor neste ano em Minas Gerais. O motivo é a falta de chuvas nas cidades do Sul, responsáveis por 90% da produção do Estado – que é o maior produtor da fruta no país.  

Segundo o coordenador técnico de fruticultura da Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado de Minas Gerais (Emater-MG), Bernardino Cangussú, a estiagem gerou aumento de custos para os produtores, principalmente com a aquisição de mudas, e prejuízo na qualidade dos frutos. Além disso, os preços do morango devem subir para o consumidor final. “O preço depende muito de lei da demanda. Como a oferta está menor, se a procura for alta, o produto encarece”, explica.

Em Pouso Alegre, maior produtor de morango do Estado, a estiagem gerou redução de 60% da área plantada. “E os produtores que têm plantação não estão seguros de que conseguirão colher os frutos porque a perda de qualidade é grande, a produtividade é pequena, e fica difícil bancar os custos de produção”, diz o secretário de Agricultura da cidade, Roberto Romanelli.

Enquanto no ano passado o município produziu 18.000 toneladas de morango em 360 hectares, neste ano a área plantada é de 144 hectares. “Ainda não dá para medir a produção, mas com certeza será bem menor. O prejuízo é total”, afirma Romanelli. A caixa de 1,2 kg da fruta está custando entre R$ 13 e R$ 17, preço maior do que o normal, de R$ 5, em média. “Mas os preços não podem subir tanto, porque morango não é um produto essencial e pode ser substituído por outras frutas mais baratas”, afirma.

A cidade declarou estado de alerta por causa da estiagem, e produtores e moradores da cidade já recorrem a poços artesianos. “Em alguns bairros, as pessoas não têm água nem para beber. Não tem muito o que fazer, só rezar para que chova no inverno”, diz o secretário.

Em Estiva, também no Sul de Minas, a área de plantio diminuiu em torno de 30% neste ano para cerca de 224 hectares, em comparação com os 320 no ano passado, segundo o engenheiro agrônomo da Emater da cidade, Antonio Augusto.

De acordo com ele, os preços da caixa da fruta estão entre R$ 10 e R$ 12. “Não tem jeito, não tem o que fazer. Se não chover, todo o pessoal envolvido com o morango vai quebrar. A cidade vai virar um caos, porque a base da economia aqui é o morango”.

Em 2013

Mais. A produção de morango em Minas Gerais no ano passado foi de 97,3 mil toneladas, em uma área de 1.900 hectares, segundo dados da Emater-MG. Minas é o maior produtor do país.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave