O mundo secreto das palavras

Inhotim discute temas que focam o universo da arte contemporânea noSeminário Espaço, Trabalho e História

iG Minas Gerais | Daniel Oliveira |

História. Adriana Varejão é uma das artistas convidadas cuja obra parte do acervo de Inhotim
O TEMPO
História. Adriana Varejão é uma das artistas convidadas cuja obra parte do acervo de Inhotim

Algumas palavras servem como chaves que abrem portas para penetrar no intrincado universo da arte contemporânea. Em 2013, o Inhotim Escola debateu três delas: Natureza, Tempo e Poesia. Dando sequência à iniciativa, o instituto realiza neste fim de semana um seminário sobre Espaço (hoje, às 19h30), Trabalho (amanhã, às 10h30) e História (domingo, às 14h30) no Museu Abílio Barreto.

O projeto reúne três convidados – um artista da coleção do instituto, um teórico e outro artista que não seja do campo visual ou plástico – que lidem com o tema em suas práticas diárias para discutir cada um dos três temas. “A ideia é ouvir como elas se relacionam com esses assuntos e convida-las a pensarem juntas abordagens diferentes para eles”, explica Júlia Rebouças, que é curadora do seminário e mediará as mesas.

Com isso, os convidados partem de sua própria experiência para abordar subtemas dentro do amplo escopo contido em cada palavra. Assim, o artista Marcius Galan discute “Espaço e Virtualidade”. A mesma mesa inclui o arquiteto e secretário de Desenvolvimento Urbano da cidade de São Paulo, Fernando de Mello Franco, falando sobre “Espaço e Cidade”. Completando o primeiro tema, a dramaturga Grace Passô aborda “Espaço e Corpo”.

Amanhã, o filósofo Peter Pál Pelbart aborda “Trabalho e Luta”. Com ele, estarão a mineira Marilá Dardot, que reflete sobre as possibilidades semânticas inerentes a “Trabalho e Obra”, e o poeta e diplomata Francisco Alvim discutindo “Trabalho e Ofício”.

Por fim, no domingo, Adriana Varejão fala sobre “História e Contemporaneidade” em seu trabalho. A mesa traz ainda a professora de história da UFRJ Norma Cortês, que trabalha com a noção de “História da História” – como surgiram os conceitos e ideias de memória e afins que fizeram o homem guardar e criar uma narrativa a partir de sua vivência. O dramaturgo e fundador do grupo Galpão, Eduardo Moreira, é o terceiro vértice do debate, abordando “História e Estória”, o lugar da ficção nas narrativas históricas. “Os temas e mesmo os subtemas são muito amplos, mas cada um deles traz uma abordagem específica que nos ajuda a chegar onde queremos ir”, analisa Rebouças.

Para ela, abrir um diálogo sobre essas questões, sobretudo com o público que convive, frequenta e conhece Inhotim, é o mais importante. “A gente tem um tesouro no nosso acervo, onde existe muito conhecimento acumulado. É fundamental encontrar maneiras de desdobrar esse conteúdo bruto das obras, conhecer o mundo e criar repertórios a partir dele”, elabora.

A curadora ressalta ainda que o seminário não se filia a nenhuma disciplina ou campo teórico, e o objetivo não é essencialmente acadêmico. “Os palestrantes podem mostrar imagens, exibir um filme, ler um poema. É um voo livre para estimular outras maneiras de pensar sobre esses assuntos”, provoca.

Agenda

O que. Seminário gratuito Espaço, Trabalho e História

Quando. De hoje a domingo

Onde. Museu Abílio Barreto – av. Prudente de Morais, 202; hoje, 19h30; amanhã, 10h30; dom., 14h30

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave