Reajuste de passagem será questionado em audiência

Debate na quinta (29) ainda deverá tratar da qualidade do transporte público; jovens também querem que o Executivo implante o meio-passe estudantil

iG Minas Gerais | Dayse Resende |

Protesto. 
Depois de se concentrarem na praça Tiradentes, no centro, estudantes seguiram para a Câmara Municipal com apitos e cartazes
FOTO: JOAO LEUS / OTEMPO
Protesto. Depois de se concentrarem na praça Tiradentes, no centro, estudantes seguiram para a Câmara Municipal com apitos e cartazes

O aumento nas tarifas do transporte coletivo, que teve um reajuste de 3,63% na semana passada, e a qualidade do serviço oferecido à população serão temas de uma audiência pública na Câmara de Betim.

O debate, proposto pelo vereador Tiago Santana (PCdoB), será realizado na quinta-feira (29), às 9h, no plenário da Casa. Serão convidados representantes da Santa Edwiges, do Ministério Público e da empresa que gerencia o transporte e o trânsito em Betim, a Transbetim.

A audiência foi aprovada depois que representantes de movimentos sociais e também estudantes que dependem do transporte coletivo fizeram um protesto no centro e, depois, seguiram para a Câmara. Desde domingo (18), as passagens das linhas de ônibus tradicionais passaram de R$ 2,75 para R$ 2,85. Já as linhas do tipo circular tiveram aumento nas passagens de R$ 2 para R$ 2,10.

Ao pedir o apoio dos parlamentares, Santana defendeu o debate, argumentando que o requerimento tem como finalidade sensibilizar o poder público municipal para que possa rever o aumento e também cobrar uma melhor prestação de serviço à população. “A prefeitura precisa apresentar uma planilha que justifique esse aumento, já que a qualidade do transporte público em Betim tem deixado a desejar”, frisou.

O presidente da União Municipal dos Estudantes Secundaristas (Umes), Fernando Macieira, também criticou o déficit de linhas no município, o que, segundo ele, gera constante superlotação em ônibus e vans da cidade. “Faltam ônibus. O transporte público de Betim não atende às necessidades dos usuários. Além disso, esse aumento causará grandes impactos nas famílias que têm seus filhos estudando em escolas públicas”, disse.

Já o presidente da União da Juventude Socialista (UJS), Cristiano Marcos, cobrou a regulamentação do meio-passe estudantil. “O projeto foi aprovado em 2013, mas, até hoje, não foi sancionado. Além disso, não podemos aceitar a dupla função dos motoristas, que, em muitos casos, têm que dirigir e ainda trabalhar como trocador”, defendeu. O aumento na passagem ocorre quase um ano após os grandes protestos que aconteceram em junho de 2013. Na época, a Transbetim diminuiu o valor da tarifa de R$ 2,90 para R$ 2,75. Impacto

Quem depende do transporte público foi pego de surpresa pelo anúncio do reajuste e não ficou muito satisfeito. “Esses R$ 0,10 parecem pouco, mas, quando chega o fim do mês, dá um valor considerável”, reclamou a secretária Márcia Lima da Silveira. A Transbetim não apresentou razões que justifiquem o aumento da passagem.

Belo Horizonte

Em Belo Horizonte, também estão ocorrendo protestos contra o aumento da passagem. Na terça-feira (20), manifestantes fizeram uma passeata até o bairro de Lourdes, onde, segundo informações de membros do Tarifa Zero, estaria localizada a casa do presidente da BHTrans, Ramon Victor César. Na ocasião, os manifestantes tocaram o interfone de todos os apartamentos do edifício e gritaram palavras de ordem.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave