Câmara vai cobrar da PBH respostas sobre o viaduto Santa Tereza

Movimentos sociais estiveram presentes em uma audiência pública realizada na Câmara para discutir a revitalização do local e pediram mais diálogo e transparência no processo

iG Minas Gerais | Camila Bastos |

leo fontes
undefined

A Câmara Municipal vai cobrar respostas da Prefeitura de Belo Horizonte (PBH) a respeito das obras de revitalização do Viaduto Santa Tereza e sobre a gestão do futuro espaço. Na manhã desta quinta-feira (22), movimentos sociais estiveram presentes em uma audiência pública realizada na Câmara para discutir o tema e pediram mais diálogo e transparência no processo. A sessão também contou com representantes da prefeitura e do Instituto Estadual do Patrimônio Histórico e Artístico de Minas Gerais (Iepha).

“Ficaram muitas questões sem respostas, por isso estamos elaborando alguns encaminhamentos que serão votados semana que vem para serem enviadas ao executivo”, explicou o vereador Pedro Patrus (PT). Após a audiência, ele e alguns representantes da sociedade civil se reuniram para discutir os pontos que serão incluídos no documento que entrará em votação na Comissão Direitos Humanos e Defesa do Consumidor na próxima quinta-feira (29). Após o recebimento, a prefeitura terá 30 dias para responder aos vereadores. “Uma questão que nos preocupa muito é como esse espaço vai ser gerido. O viaduto é nossa espaço de referência, e tudo que aconteceu lá foi de forma espontânea”, aponta Pedro Valentim, representante do Família de Rua, movimento responsável por, entre outros, a organização do Duelo de MC’s que costumava acontecer às sextas feiras embaixo do viaduto.

Durante a audiência, o coordenador da Juventude da PBH, Marcelo Silvério Dias, afirmou que não há um projeto de gestão, e que o objetivo da revitalização é qualificar o espaço. Inicialmente, serão pedidos esclarecimentos sobre o cronograma e o orçamento da reforma. Também será cobrada a oficialização de como o espaço sera gerido , a criação de uma comissão intersetorial para acompanhar as obras e um ofício do Iepha com um parecer sobre a intervenção, já que, conforme confirmado pela assessoria do órgão, a revitalização começou sem autorização da instituição.

Ainda segundo a assessoria do Iepha, o aval será enviado em breve ao executivo, e que para isso faltam apenas alguns detalhes burocráticos.

Ocupação

Mesmo com os tapumes, o espaço será utilizado no próximo domingo (25) para reunião da Assembleia Popular Horizontal (APH). A pauta principal será o agendamento de manifestações durante a copa do Mundo, mas a questão da revitalização do viaduto também será discutida.