Trabalhadores da Fhemig denunciam falhas em plano para a Copa do Mundo

Segundo funcionários do Hospital João XXIII, plano de Atendimento a Desastres e Catástrofes não condiz com realidade

iG Minas Gerais | Lohanna Lima |

Casal estava junto há um ano
CHARLES SILVA DUARTE / 27.9.2008
Casal estava junto há um ano

Os trabalhadores da Fundação Hospitalar do Estado de Minas Gerais (FHEMIG) se reunirão com a população, nesta sexta-feira, às 10h30, na porta do Hospital João XXIII, a fim de apresentar à sociedade falhas detectadas no Plano de Atendimento a Desastres e Catástrofes – PAD, elaborado pela Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais para para melhor atendimento da população em caso de uma catástrofe durante a realização da Copa do Mundo.

Segundo Carlos Augusto Martins, diretor da Associação Sindical dos Trabalhadores em Hospitais do Estado de Minas Gerais (ASTHEMG), o objetivo do encontro é mostrar à população que o PAD apresenta falhas e que um novo documento foi apresentado à Secretaria de Saúde para que as modificações fossem realizadas, mas não houve retorno do órgão. O plano será aplicado no pronto-socorro referência da cidade, Hospital João XXIII.

“Os trabalhadores receberam o documento há menos de 20 dias. Uma coisa é o plano, outra coisa é a realidade do hospital. O plano prevê uma série de ações que vão modificar a rotina de funcionamento da unidade e elas podem trazer mais prejuízos que ajuda nos caso de termos que lidar com algum tipo de catástrofe prevista no plano”, explica Carlos Augusto Martins.

O plano de contingência começou a ser desenvolvido em 2011 pela Secretaria de Estado de Saúde, que garante ter investido na preparação das equipes, compra de equipamentos, contratação de consultorias internacionais, treinamentos, adequação dos hospitais de referência, infraestrutura e logística.