Após Move, avenida perde opção 'parar/estacionar' e ganha reclamações

BHTrans garante à pessoas com mobilidade reduzida que onde houver guia rebaixada na calçada, o condutor pode atravessar as linhas, mesmo as contínuas

iG Minas Gerais | Fernanda Viegas |

CIDADES. BELO HORIZONTE, MG.

Avenida Augusto de Lima agora tem faixa exclusiva para o Move. Sinalizacao na via ja avisa motoristas.

FOTOS: LINCON ZARBIETTI / O TEMPO / 21.05.2014
Lincon Zarbietti / O Tempo
CIDADES. BELO HORIZONTE, MG. Avenida Augusto de Lima agora tem faixa exclusiva para o Move. Sinalizacao na via ja avisa motoristas. FOTOS: LINCON ZARBIETTI / O TEMPO / 21.05.2014

Moradores e comerciantes da avenida Augusto de Lima, no centro da capital, tiveram suas rotinas alteradas com a circulação do Move (nome dado ao BRT, sigla em inglês para transporte rápido por ônibus) em faixa exclusiva na via e reclamam de terem sido lesados. Há quase um mês, é proibido estacionar no trecho entre as ruas São Paulo e Espírito Santo.

“E o meu direito de ir e vir? Eu senti que perdi esse direito. Não tem nenhuma possibilidade de carga e descarga e não tem horário nenhum que se pode parar. Eu tenho que parar dois quarteirões para cima da minha casa para não pagar multa”, queixou-se a advogada Fernanda Guimarães, 30, que mora em um prédio da Augusto de Lima.

A moradora se sente impedida de realizar atividades simples, como descarregar malas ao se chegar de uma viagem ou poder descer de um táxi na porta de casa à noite. “Não tenho veículo e por isso a necessidade de fazer desembarque na porta da minha casa. Conforme sinalização não pode mais parar/estacionar e tem o radar”, desabafou.

Os estabelecimentos comerciais que precisam com frequência realizar transporte de mercadorias acabam dando um “jeitinho” para não serem multados. “O pessoal descarrega correndo. Está difícil mesmo. Antes do Move podia parar para realizar carga e descarga”, confirmou a gerente Érica Lucena da Padaria Mania Gostosa.

De acordo com a assessoria da Empresa de Transportes e Trânsito de Belo Horizonte (BHTrans), a medida visa priorizar o coletivo em detrimento do individual. “A alteração é definitiva e seu objetivo é priorizar a circulação do transporte público, aumentando a fluidez dos ônibus e diminuindo o tempo de viagem dos passageiros, além de garantir uma melhor mobilidade para o tráfego geral do hipercentro”.

Segundo a BHTrans, a mudança foi comunicada previamente com a distribuição de folhetos informativos aos motoristas, pedestres, moradores e nos comércios nos meses de março e abril deste ano, além da colocação faixas de pano que orientavam sobre as alterações.

A faixa exclusiva foi implantada na faixa da direita da avenida Augusto de Lima, entre a rua Curitiba e a praça Afonso Arinos, nos dois sentidos. Assim, os veículos podem trafegar normalmente nas duas faixas de rolamento destinadas ao tráfego misto. O órgão lembra ainda que os demais quarteirões da via já tinham o impedimento para estacionar.

Quanto às pessoas com mobilidade reduzida, a BHTrans garante que onde houver guia rebaixada na calçada, o condutor pode atravessar as linhas, mesmo as contínuas para acessar as garagens e estabelecimentos comerciais. Já as vagas antes regulamentadas com o estacionamento rotativo, para idosos e de motos foram remanejadas para os quarteirões próximos, garantindo o atendimento aos usuários.

Para atender aos comerciantes, as áreas destinadas a carga e descarga nas vias transversais à Augusto de Lima são:

- Rua Rio de Janeiro, entre avenida Augusto de Lima e rua Guajajaras; - Rua Rio de Janeiro, entre avenida Augusto de Lima e rua Goitacazes; - Rua São Paulo, entre avenida Augusto de Lima e rua Guajajaras; - Rua São Paulo, entre avenida Augusto de Lima e rua Goitacazes; - Rua Espírito Santo, entre avenida Augusto de Lima e rua Goitacazes; - Rua da Bahia, entre avenida Augusta de Lima erRua Guajajaras.  

Leia tudo sobre: reclamaçãoMoveparar/estacionarreclamaçõesmoradorescomerciantes