Liberdade em movimento

Espetáculo propicia criação de coreografias na hora

iG Minas Gerais | LUCAS SIMÕES |

Montagem. Os bailarinos Dorothé Depeauw (de costas), Tuca Pinheiro e Cris Oliveira (calça branca)
Paulo Lacerda - Fundação Clóv
Montagem. Os bailarinos Dorothé Depeauw (de costas), Tuca Pinheiro e Cris Oliveira (calça branca)

Como três bailarinos com estilos e corpos distintos interpretam uma mesma informação, canção e coreografia juntos? Essa é a principal pergunta do espetáculo “Prancha Coreográfica – Estudo para Intensidades”, que abre segunda temporada hoje no teatro João Ceschiatti do Palácio das Artes.

Vencedor do Prêmio Fundação Clóvis Salgado de Estímulo às Artes Cênicas de 2013, a montagem da bailarina Cristiane Oliveira representa um método de criação e improvisação na dança, a partir do conceito teórico da prancha coreográfica, desenvolvido pelos coreógrafos Rudolf Laban, Anne Bougart e Tina Landau.

Na prática, os bailarinos Dorothé Depeauw, Tuca Pinheiro e a própria Cris Oliveira interpretam no palco símbolos visuais escritos em partituras, cubos, diagramas e até baralhos de dança didáticos desenvolvidos para isso. Os sinais servem como recomendação para os movimentos que os bailarinos têm que executar em cinco eixos: forma-movimento-ação, tempo, nível, direção e intensidade.

“Quando um bailarino vê um símbolo na partitura ou no baralho, ele é orientado a fazer um movimento (ação) lento (tempo) no chão (nível), por exemplo. Só que o tempo que cada um demora para fazer os movimentos, o que cada um considera como lento, é particular, permite diferenças nítidas entre as interpretações”, avalia Cristiane, que também dirigiu o espetáculo “Dropes”, em 2010, baseado no conceito da prancha coreográfica.

Em cerca de 45 minutos de espetáculo, “Prancha Coreográfica – Estudo para Intensidade” abre espaços também para o improviso. “É uma observação de como os corpos se comportam diferentes uns dos outros, mesmo quando pautados a agir igual”, diz a coreógrafa.

Agenda

O quê. “Prancha Coreográfica – Estudo para Intensidades”

Onde. Teatro João Ceschiatti, no Palácio das Artes (avenida Afonso Pena, 1.537, centro)

Quando. De hoje a 31 de maio, às 21h (segunda à sábado) e às 19h (aos domingos)

Quanto. R$ 10 (inteira) e R$ 5 (meia- entrada)

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave