Copa ainda não motivou torcedor a ir às compras em BH

Sindilojas prepara campanha de motivação na cidade

iG Minas Gerais | Ana Paula Pedrosa |

Parada. Como ocorreu em 2010, shoppings vão passar os jogos nas praças de alimentação
CRISTIANO TRAD / O TEMPO
Parada. Como ocorreu em 2010, shoppings vão passar os jogos nas praças de alimentação

Faltando 21 dias para a Copa do Mundo, o torcedor ainda não manifestou seu lado consumidor me Belo Horizonte. Ao contrário do que acontecia em outras Copas, neste ano o comércio ainda não está lucrando com os eventos. O desânimo é tanto que o Sindicato dos Lojistas de Belo Horizonte (Sindilojas-BH) vai colocar em campo uma ação motivacional a partir da próxima segunda-feira.

A entidade pretende enfeitar sua sede de verde e amarelo e vai fazer um apelo aos lojistas para que façam o mesmo, na esperança de que o clima de festa contagie o torcedor na última hora. “As vendas estão péssimas e nós estamos tentando reverter esse desânimo”, diz o presidente do Sindilojas-BH, Nadim Donato.

Ele diz que a insegurança causada pelos protestos atingiu em cheio as vendas. “É tanto medo que está todo mundo se recolhendo em vez de vivenciar essa oportunidade”, afirma.

Nos shoppings, a tentativa de fisgar o consumidor vai até a última hora. De acordo com levantamento realizado pela Associação Brasileira de Shopping Centers (Abrasce) em todo o país, a maioria dos centros de compra deve funcionar nos dias de jogos da seleção brasileira. Segundo a pesquisa, 95% dos estabelecimentos devem fechar as portas entre 30 minutos e uma hora antes dos jogos e reabrir logo após os término das partidas. Os jogos devem ser transmitidos para funcionários nas praças de alimentação. Em Belo Horizonte os shoppings ainda não definiram seus horários, mas devem seguir a tendência nacional. Para o comércio de rua, a Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL-BH) acredita que cada empresário vai definir o horário de funcionamento considerando fatores como horário do jogo, localização das lojas, movimento, mobilidade e a chance de haver ou não protestos nas imediações.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave