Menos de 30% do país tem acesso à web

iG Minas Gerais |

Havana. Apesar da iniciativa de Yoani ter como objetivo informar os cubanos sobre o país, a maioria da população do país não poderia ler o jornal mesmo se ele não tivesse sido retirado do ar, uma vez que apenas 2,6 milhões de pessoas – dos 11,2 milhões de habitantes de Cuba – têm acesso à internet, e muitos só podem acessar as páginas controladas pelo governo.  

O projeto começa com um grupo de 12 redatores, sem uma redação em Havana ou conexão de e-mail. Os jornalistas vão usar mensagens de texto de telefones celulares para se comunicar.

O projeto foi anunciado há alguns meses, quando a cubana falou de sua intenção de dar um passo a mais depois da criação do blog Geração Y, que fala de uma geração que só conheceu o regime dos irmãos Castro. Mas ela já previa que o projeto podia encontrar resistência do governo.

“Será um caminho difícil. Nas últimas semanas tivemos uma prévia de como a propaganda oficial vai tentar demonizar a mídia. Várias pessoas da nossa equipe receberam ligações da Segurança do Estado”, disse a cubana.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave