Cruzeiro vence o Sport em despedida do Mineirão e assume a ponta

No último jogo no estádio da Pampulha antes da Copa, Raposa usa arma fatal, a bola aérea, para aplicar 2 a 0 no Leão

iG Minas Gerais | GUILHERME GUIMARÃES |

Marcelo Moreno marcou um belo gol de cabeça e fechou o placar no Mineirão
douglas magno
Marcelo Moreno marcou um belo gol de cabeça e fechou o placar no Mineirão

“Saudade, Saudade, hoje eu posso dizer o que é dor de verdade”. Nesta noite, o sentimento dos cruzeirenses, jogadores e torcedores, traduzia-se muito bem nos versos do sambista Arlindo Cruz. Na vitória por 2 a 0 diante do Sport, em duelo válido pela sexta rodada do Campeonato Brasileiro, o momento era de despedida, um até breve ao Mineirão, entregue oficialmente à Fifa por causa da Copa do Mundo. Ricardo Goulart e Marcelo Moreno foram os responsáveis por arrancar o grito de gol dos celestes.

Na partida do breve adeus, um primeiro tempo de dar sono. O time de Marcelo Oliveira esteve longe de ser aquela equipe aguerrida e coesa, ágil e perigosa no ataque, características marcantes do tricampeonato nacional. O que se viu nos primeiros 45 minutos foi um Sport agressivo e muito mais merecedor do gol, que teimou em sair fosse para qualquer lado.

A inoperância celeste e as recorrentes falhas foram sentidas pelos próprios jogadores celestes. E se faltou bola na etapa inicial, sobrou autocrítica. “Fomos surpreendidos. O time não conseguiu jogar e temos que voltar para o segundo tempo mais ligados. Precisamos voltar a ser a equipe que sempre fomos”, reconheceu o lateral-esquerdo Egídio, um dos piores da Raposa na primeira etapa.

Pela pouca produção estrelada, os pernambucanos é que estiveram perto do primeiro gol. Os nordestinos até chegaram a balançar as redes, aos 31 min, mas o árbitro Felipe Gomes da Silva invalidou o lance. Para revolta do técnico Eduardo Batista e sorte cruzeirense.

Mesmo com volume de jogo melhor, o Leão da Ilha não conseguia fazer com que sua superioridade fosse traduzida em gols. Com isso, foi a Raposa que tirou o zero do placar logo no início da segunda etapa. Aos cinco min, Dagoberto cruzou na cabeça de Ricardo Goulart, que testou para o fundo da rede de Magrão, que comemorava 500 jogos com a camisa do Sport.

Tendo um gol de vantagem o Cruzeiro, ainda assim, não mostrava equilíbrio. Só que o time visitante perdia força. Dessa forma, a equipe estrelada chamou a responsabilidade e fez valer o mando de campo. Marcelo Moreno, até então apagado, ampliou o marcador. Aos 32 min, o centroavante usou a cabeça para fazer o segundo da Raposa, que chega a quarta vitória e assume a liderança do Brasileirão com 13 pontos, um à frente do Internacional.  

Leia tudo sobre: cruzeiroraposamineiraoliderdespedidasaudadesportbrasileiro