Mineirão é oficialmente um território de Copa do Mundo

Em evento realizado antes do jogo entre Cruzeiro e Sport, estádio que receberá seis jogos do Mundial foi entregue à Fifa

iG Minas Gerais | Thiago Nogueira |

Desde esta noite, o Mineirão é, oficialmente, um território de Copa do Mundo. Em evento realizado antes da partida entre Cruzeiro e Sport, o Governo de Minas e o consórcio Minas Arena passaram o estádio aos cuidados exclusivos da Fifa e do Comitê Organizador Local (COL) para a realização de seis jogos do Mundial.

Por questões de agenda, representantes do COL e Fifa não puderam comparecer. Assim, o gerente de operações da Minas Arena, Severiano Braga, fez a entrega simbólica do livro-caixa “O Gigante dos Mineiros” ao secretário de Estado de Turismo e Esportes (Setes), Tiago Lacerda.

“Estamos cumprindo os compromissos acordados, não só com a Fifa, mas como a população mineira. Em um ano e meio, tivemos uma evolução significativa. Temos certeza que será o estádio de melhor operação, já que é o mais testado”, ressaltou Lacerda.

Até a realização do primeiro jogo, dia 14 de junho, entre Colômbia e Grécia, a arena vai ser preparada para receber a competição. Entre as principais ações estão a customização das marquises, a estruturação do espaço de patrocinadores, placas de publicidade, instalações dos centros de mídia e credenciamento e adaptação da zona mista.

A Fifa também fará a troca das traves e dos bancos de reservas, além de fazer testes de tecnologia e iluminação. Com relação à Copa das Confederações, a novidade é a utilização do espaço externo do Mineirinho, que servirá de ponto de hospitalidade de patrocinadores.

No estádio, a mudança mais significativa será nas tribunas de imprensa, que terá até 4.000 postos de trabalho. Nas Confederações, apenas dois blocos das arquibancadas tinha sido ocupado. O espaço será ampliado jogo a jogo até ocupar seis bolcos na semifinal.

Nos últimos dias, quem passa pelo estádio já nota alterações dentro e no entorno do estádio. Tendas, grades das Fans Walk, banheiros químicos e outras estruturas já começaram a ser instaladas. O estacionamento G2 já está todo ocupado por estruturas do centro de imprensa.

Assim como acordado com a Fifa, o governo de Minas vai arcar com as despesas das estruturas temporárias. Segundo o secretário Tiago Lacerda, o custo da instalação baixou de R$ 70 milhões previstos inicialmente para R$ 42,7 milhões.

Palco de três jogos na Copa das Confederações, o novo Mineirão já recebeu 48 partidas (somada a de ontem), incluindo a decisão da Libertadores do Atlético, no ano passado, e os jogos decisivos do Cruzeiro, campeão brasileiro de 2013.

A arena só será "devolvida" no dia 15 de julho, uma semana depois da semifinal em BH e dois dias depois da grande final, no Rio.

Fim do prazo

Nesta quinta-feira, encerra o prazo final para a entrega dos outros estádios para o comando da Fifa e do COL. Em Minas, além do Mineirão, o Independência, o Sesc Venda Nova, a Cidade do Galo, as Tocas da Raposa I e II e a Arena do Jacaré, em Sete Lagoas, já são consideradas áreas oficiais. Em todo o Brasil, são 68 equipamentos, entre estádios e CTs.

Números do Mineirão desde a reinauguração:

5.000 empregos diretos criados na obra

150 mil pratos de tropeiro vendidos

1,5 milhão de pessoas assistiram a jogos e shows

5.000 orientadores de público

3.000 brigadistas

15 mil seguranças privados  

Leia tudo sobre: Copa do Mundomundialmineiraoestadiofifacolfutebol