MPT determina que gandulas da Copa sejam maiores de 18 anos

Notificação foi encaminhada à Federação Mineira de Futebol nesta quarta-feira

iG Minas Gerais | ANTÔNIO ANDERSON |

Relíquias. 
Jogadores do Ferroviário foram gandulas na Copa das Confederações
LEO FONTES / O TEMPO
Relíquias. Jogadores do Ferroviário foram gandulas na Copa das Confederações

A Federação Mineira de Futebol (FMF) recebeu na tarde desta quarta-feira uma notificação recomendatária do Ministério Público do Trabalho determinando que os gandulas que forem trabalhar na Copa do Mundo devem ser maiores de 18 anos. No documento, o MP cita o dispositivo da convenção 138 da Organização Internacional do Trabalho, que trata da idade mínima para a admissão ao trabalho e o emprego.

O departamento jurídico da FMF informou que a Confederação Brasileira de Futebol (CBF) já havia passado essa recomendação e que quem tem de se manifestar sobre o assunto é a Fifa, que organiza o Mundial.

A determinação do Ministério Público do Trabalho vai atingir crianças entre 13 e 15 anos, que participaram de uma escolha nacional patrocinada pela Coca-Cola, patrocinadora da Copa do Mundo, para trabalharem como gandulas na competição. Em Minas Gerais foram selecionados 34 adolescentes, são 16 meninas e 18 meninos, que teriam a chance de ver seus ídolos de perto e fazer a reposição das bolas em campo nos seis jogos do Mineirão.

Além de Belo Horizonte, outras nove cidades receberam o treinamento: São Paulo, Recife, Salvador, Porto Alegre, Curitiba, Cuiabá, Manaus, Rio de Janeiro e Brasília. Os instrutores são professores de educação física, sendo um deles ex-árbitro ou assistente de futebol.