Vídeo: testamos o pê-efe do McDonald's

Repórter de O Tempo foi a uma unidade da rede de fast food para comprar e experimentar o desconhecido (mas existente) prato feito; veja o que nós achamos da refeição

iG Minas Gerais | ANDERSON ROCHA |

PORTAL BH MG: PRATO FEITO MC DONALD


FOTOS: DENILTON DIAS / O TEMPO / 21.05.2014
DENILTON DIAS / O TEMPO
PORTAL BH MG: PRATO FEITO MC DONALD FOTOS: DENILTON DIAS / O TEMPO / 21.05.2014

Se a mão pesa no sal das clássicas batatas fritas, carecem de tempero, cozimento ideal e sabor o tão misterioso prato de arroz com feijão do McDonald's. Missão dada, nossa reportagem foi à unidade da rede na avenida General David Sarnoff, na Cidade Industrial, em Contagem - bem pertinho da sede do jornal, para testar o produto. Se o atendimento é bom e ‘rápido’, o produto é caro e peca no sabor.

A compra Pedi o pê-efe à primeira atendente de caixa que vi. Ela não conhecia (me indicou um McDonald's Premium Salad Grill) e eu insisti no prato simples. A moça chamou um moço, que chamou um gerente. Esse sim deu andamento ao pedido, que se chama Break e é composto, além do arroz e feijão, por farofa, batata frita, salada e carne (varia; na quarta é Fish - o peixe empanado). Para compensar a ausência de acompanhamento de refrigerante ou suco, a refeição vem com uma banana. Saudável, né?

Veja o resultado no nosso vídeo!

O preparo Durante a espera entre o pedido e a entrega (exatos nove minutos; a loja estava vazia às 14h30), fiz algumas perguntas, sem me identificar como jornalista. Descobri que em um ano e sete meses de funcionamento daquela franquia, apenas cinco ou seis pessoas pediram a comidinha. É pouquíssimo para uma empresa que quase não fecha as portas e ainda tem drive-thru. Enquanto preparavam o prato, no fundo da loja, os outros atendentes me olhavam como se eu fosse um ET: afinal, quem é esse cara que pede um pê-efe no McDonald's?

O mistério O desconhecimento do prato executivo (como ele é chamado pelos funcionários) não é por acaso: nem no site oficial da rede há a informação sobre a existência do tal Break. O preparo, aliás, só pode ser feito pela gerente geral, seja para clientes ou para os funcionários. Esse, inclusive, é o motivo para a existência da refeição: ele passou a existir, em 2010, porque os colaboradores reclamaram na Justiça que não queriam almoçar ou fazer lanches com hambúrgueres.

O McDonald's afirmou, em nota, que não divulga e nem divulgará o prato pois não “faz parte da 'estratégia de marketing' e nem é a especialidade” da empresa.

A entrega e a conclusão Com o prato pronto, trouxe para a redação para experimentar. O peso da refeição nenhum funcionário soube informar, mas é pesadinho. O preço, salgado: R$ 23,00. E o sabor? Assista ao vídeo!

Por esse preço, eu realmente preferiria comprar um pê-efe em outros lugares. No Mixido, na Savassi, na região Centro-Sul de BH, o ‘mineiro’ sai por R$ 19,00, com lombo, linguiça, ovo, arroz, feijão e couve com alho. Já no Chopp da Fábrica, o ‘mixidão’ vem com arroz, feijão, couve, ovo, carne desfiada, linguiça especial e torresmo e é vendido por R$ 16,30. Outra opção é o Bolão, em Santa Tereza, na região Leste: o pê-efe lá vem com arroz, feijão, macarrão (espaguete), carne (à escolha) e ovo. O valor? R$ 18,50.

Serviço

McDonald's (filial visitada) Avenida General David Sarnoff, 1000, Cidade Industrial - Contagem

Mixido Bar e Restaurante Avenida do Contorno, 5602, Savassi - (31) 3221-0886

Chopp da Fábrica Avenida do Contorno, 2736, Santa Efigênia - (31) 3241-1766

Bolão de Santa Tereza Praça Duque de Caxias, 288, Santa Tereza - (31) 3482-4433

Leia tudo sobre: Mc Donald'sarroz com feijão