Índice de câncer é maior na terceira idade

À medida que a expectativa de vida aumenta, o número de casos também cresce; dados da ONU mostram que idosos têm 11 vezes mais probabilidade de desenvolver câncer do que uma pessoa mais jovem

iG Minas Gerais | DA REDAÇÃO |

Terapias para a terceira idade deveriam ser individuais
arquivo stockxpert
Terapias para a terceira idade deveriam ser individuais

Na terceira idade, qualquer doença pode representar um risco maior. Nos casos de câncer, isso não é diferente. O alerta deve ser feito porque a expectativa de vida aumenta e, consequentemente, o número de casos de câncer nos idosos. No Brasil, de acordo com o IBGE, o número de brasileiros acima de 65 anos deve praticamente quadruplicar até 2060, quando a expectativa de vida das mulheres será de 84,4 anos, contra 78,03 dos homens.

Dados do Ministério da Saúde apontam que as doenças do aparelho circulatório são a principal causa de mortalidade em idosos, com mais de 37% do número de mortes. As mais comuns são derrame, infarto e outras complicações da hipertensão arterial. Em seguida, estão os tumores (câncer) e doenças do aparelho respiratório, por exemplo, pneumonia e DPOC (doença pulmonar obstrutiva crônica, como o enfisema e a bronquite).

E as pesquisas não param por aí. Dados da ONU revelaram que as pessoas com mais de 65 anos de idade tem 11 vezes mais probabilidade de desenvolver câncer do que uma pessoa mais jovem. Tumores de pele, próstata, mama, colón, reto, estômago, pâncreas, bexiga, pulmão e linfoma não-Hodgkin são os tipo de câncer com mais incidência entre os idosos.

De acordo com Amândio Soares, médico oncologista e diretor da Oncomed BH, os hábitos e o estilo de vida são fatores que aumentam o risco de se contrair um tipo de câncer. O idoso tem características diferentes do adulto e o tratamento do câncer na terceira idade necessita ser diferenciado.

“A abordagem da fisioterapia, desde a prevenção até o tratamento de patologias que limitam a funcionalidade do idoso, é um fator diferencial. Portanto, há necessidade de uma equipe interdisciplinar para tratar e prevenir as complicações decorrentes do tratamento da patologia”, pontua.

E a prevenção é o fator mais importante. Homens a partir dos 45 anos devem procurar auxilio médico para avaliar exames de rastreamento para câncer de próstata. Já as mulheres devem se prevenir anualmente contra o câncer de mama, através da mamografia (a partir dos 40 anos), e do câncer de colo uterino, através do exame ginecológico. O rastreamento para o câncer de intestino deve ser indicado a partir dos 50 anos, para homens e mulheres.  

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave