'Qualquer coisa eu sei o caminho de casa', diz Oswaldo

"Essa pessoa (Carlos Henrique) que falou isso é uma que dava tapinha nas costas aqui e dizia que o trabalho era maravilhoso", alfinetou o treinador

iG Minas Gerais | AGÊNCIA ESTADO |

Oswaldo de Oliveira passa últimas instruções aos seus comandados antes de decisão do Paulista
FLICKR/SANTOS/DIVULGAÇÃO
Oswaldo de Oliveira passa últimas instruções aos seus comandados antes de decisão do Paulista

O técnico Oswaldo de Oliveira mostrou-se irritado, nesta quarta-feira, com as críticas que vem recebendo pelo seu trabalho à frente do Santos. Em entrevista coletiva, desabafou quando perguntado sobre as palavras duras do vice-presidente do Conselho Deliberativo, Carlos Henrique da Fonseca Filho, que fez diversas ressalvas ao trabalho do treinador na última reunião do órgão. Ao fim da coletiva, visivelmente chateado, o técnico ameaçou: 'Qualquer coisa eu sei o caminho de casa'.

Antes, havia negado que se sentisse pressionado em meios às críticas e à falta de apoio por parte do presidente Odílio Rodrigues. "Eu já tenho muitos anos de futebol para me sentir pressionado. Sei como é isso. Essa pessoa (Carlos Henrique) que falou isso é uma que dava tapinha nas costas aqui e dizia que o trabalho era maravilhoso. Falou como torcedor", reclamou Oswaldo.

Na segunda, Carlos Henrique afirmou que "Não dá mais para aguentar o Oswaldo de Oliveira". O conselheiro foi duro: "Tem que falar para ele dar padrão aos jovens. É muito nítido que ele não vem fazendo isso. Discordo sobre os pedidos de contratações. O Santos tem profissionais competentes para as fazer. Ele não vem dando oportunidades aos jogadores que têm a nossa identidade."

O teor das críticas pareceu constranger Odílio Rodrigues, que tentou amenizar o clima. O dirigente até assumiu a urgência na contratação de reforços, mas no fim acabou também criticando a queda de rendimento santista a partir da segunda fase do Paulista.

"O Oswaldo vem fazendo bom trabalho, estamos gostando. Ele dá oportunidade aos jovens, consegue mesclar com os mais experientes. Tivemos um Paulista muito bom, depois houve um decréscimo a partir das quartas. Agora é preciso dar um tempo para ver o que ele vai fazer. Também precisamos reconhecer que o plantel precisa de reforços", avaliou.

Nesta quarta, Oswaldo rebateu: "Nós não jogamos a final aqui (em Santos), deveríamos ter jogado. Isso é uma coisa que os diretores, dirigentes, têm que cuidar. Nós não queríamos jogar em Cuiabá outra vez. O Corinthians jogou em Itaquera, o Flamengo no Maracanã. Por que não pode jogar na Vila? Quem tem que cuidar dos interesses do Santos na CBF é quem tem que tratar disso", disparou.

"Meu trabalho está aqui, todo mundo elogiou. Era Oswaldo, não sei o que, e agora é motivo de crítica. Eu continuo fazendo trabalho da mesma maneira, os jogadores às vezes não se comportam como a gente quer. E dirigente também, às vezes verde, às vezes amarelo..."