Bandidos fazem reféns em empresa e levam R$ 350 mil

Suspeitos fingiram ser policiais e também roubaram cofre

iG Minas Gerais | JOSÉ VÍTOR CAMILO |

Empresa fica às margens da Via Expressa, no bairro Santa Maria
Reprodução/Google Street View
Empresa fica às margens da Via Expressa, no bairro Santa Maria

A sede da Feira de Malhas & Couros (Fenacouro) foi assaltada nessa terça por homens que se passaram por policiais civis e federais e levaram mais de R$ 350 mil e um cofre, após fazer funcionários reféns. A empresa fica na rua Ostra, às margens da Via Expressa, no bairro Santa Maria, na região Noroeste da capital mineira. Não houve feridos, e ninguém foi preso.

Três homens chegaram à empresa por volta das 10h e disseram que eram agentes da Polícia Civil e Federal, segundo informações dos militares da 10ª Companhia do 5º Batalhão da Polícia Militar (PM). Armados e com distintivos, os falsos policiais anunciaram o assalto após ter a entrada permitida pelos funcionários da Fenacouro.

Um grupo de trabalhadores, que não teve o número exato divulgado pela polícia, foi feito refém pelo trio, enquanto os suspeitos recolhiam materiais. Os assaltantes pegaram R$ 250 mil em cheques, R$ 100 mil em dinheiro e um cofre, que não teve a quantia informada.

Após recolherem todo o valor, os falsos policiais fugiram da empresa em três carros – um Volkswagen Gol preto, um Fiat Uno azul e uma Land Rover branca, do proprietário da Fenacouro.

De acordo com informações da PM, eles fugiram pela Via Expressa em direção ao bairro Coração Eucarístico. O TEMPO tentou ouvir os representantes da Fenacouro, mas um funcionário informou à reportagem que não havia ninguém na empresa que pudesse repassar informações à imprensa.

Investigações. A Polícia Civil realizou perícia, e o caso foi encaminhado ao Departamento Estadual de Operações Especiais (Deoesp), que seguirá na investigação do crime. A corporação informou que trabalha com a hipótese de que algum funcionário esteja envolvido no crime.

As testemunhas descreveram os três suspeitos para os policiais. Um deles seria alto, de pele clara, cabelo preto e usava blusa branca social e calça escura. Já um segundo suspeito seria baixo, moreno e usava blusa de frio marrom, calça jeans e boné vermelho, de aba reta. O último falso policial usava calça escura, camisa listrada nas cores amarelo e azul.

Como o crime foi em área de divisa entre a capital e Contagem, na região metropolitana, militares de dois batalhões participaram das buscas.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave