Suspeito nega ser o atirador

iG Minas Gerais | Joana Suarez / Camila Kifer/Laura Zschaber |

Suspeito de envolvimento na morte do soldado André Luiz Neves, o mecânico Wilson Guimarães Filho, 25, conhecido como Wilsinho, se entregou à polícia na noite de ontem. Neves foi assassinado quando tentava impedir um assalto no bairro Ouro Preto, na região da Pampulha, na última sexta-feira. Wilsinho é o terceiro envolvido no crime e, contrariando a versão apresentada até então pela Polícia Militar, ele nega ser o atirador.  

A imagem dele estava sendo divulgada por policiais em redes sociais. Com o suspeito, foi apreendida a arma do soldado. Outro suspeito, José Henrique da Silva Bento, 30, foi preso no dia do crime e um terceiro foi encontrado morto.

Versão da Família. Segundo a tia de Wilsinho, Rita de Cássia, ele disse que participou da tentativa de assalto, mas não atirou no policial. “O meu sobrinho disse que queria se entregar, porém tinha medo”, contou. Ele ainda teria relatado à tia que ele e os outros dois envolvidos foram para o Ouro Preto para roubar um carro e retirar as peças para vender.

Conforme a tia, o militar teria apontado a arma para o sobrinho quando Bento disparou contra o policial para evitar que Wilsinho fosse atingido. De acordo com o relato do suspeito, durante a fuga, ele teria atirado acidentalmente no chão do carro e, em seguida, na nuca de Júnior Negão – o ladrão morto – com a arma do militar, que estaria engatilhada.

No domingo, cerca de mil policiais protestaram após o enterro de Neves. A categoria quer implantar a “rede de policiais protegidos”, nos moldes da rede de vizinhos e comerciantes. 

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave