Áreas mistas ficam fora do estudo

iG Minas Gerais | bernardo miranda |

Nem todas regiões de Belo Horizonte estão incluídas no estudo de estoque. Parte do centro da capital e as áreas incluídas nas chamadas centralidades não conta com limites de área construída.  

As centralidades são áreas em que a prefeitura quer estimular a convivência de atividades residenciais e comerciais, criando novos polos de serviço. Em sua maioria, essas regiões estão em locais que já contam com uma grande infraestrutura instalada e que dispensam o controle por meio do estoque, de acordo com o secretário adjunto de Planejamento Urbana, Leonardo Castro. “Como essas áreas já contam com grandes avenidas, oferta de transporte público e de demais equipamentos públicos, não é preciso criar o controle pelo estoque”, afirmou.

Também não entram na conta do estoque as operações urbanas consorciadas, como o Nova BH e a Mata do Isidoro. Nesses casos, há regras específicas para o aproveitamento do terreno e o pagamento de contrapartidas à prefeitura. 

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave