Irmãos Dardenne emocionam

Filme dos diretores belgas protagonizado por Marion Cotillard é aplaudido em Cannes

iG Minas Gerais |

Óbvia. Por sua imersão no papel, Marion Cotillard é tida como uma favorita óbvia
Films Du Fleuve / Divulgação
Óbvia. Por sua imersão no papel, Marion Cotillard é tida como uma favorita óbvia

Os belgas Jean-Pierre e Luc Dardenne confirmaram a fama de queridinhos de Cannes. O novo filme dos irmãos, “Deux Jours, Une Nuit”, com a francesa Marion Cotillard, foi aclamado na primeira exibição para a imprensa mundial, ontem. O drama foi aplaudido diversas vezes quando os créditos subiam e entrou na lista de favoritos à Palma de Ouro – junto ao turco “Winter Sleep” e ao japonês “Still the Water”. Ironicamente, pode ser que a força dos Dardenne seja o obstáculo pelo prêmio principal, já que a dupla já arrebatou duas Palmas de Ouro (por “Rosetta” e “A Criança”), um prêmio de roteiro (“O Silêncio de Lorna”) e um Gran Prix (“O Garoto de Bicicleta”). Assim como em suas obras passadas, os Dardenne utilizam seu estilo documental que tanto influencia o cinema atual para analisar diversas camadas da sociedade europeia. Dessa vez, Marion some no papel de uma mulher depressiva que precisa passar um fim de semana caçando colegas de trabalho para pedir votos: eles precisam decidir se ficam com um bônus de 1.000 ou se aceitam a reintegração dela na empresa. Cotillard é uma favorita óbvia, não apenas pela imersão no papel, mas também por ser francesa – algo que nunca prejudica. Brasil. Sem ter emplacado longas em Cannes, o Brasil foi lembrado no festival francês com “O Sal da Terra”, documentário sobre o fotógrafo Sebastião Salgado, que foi aplaudido de pé por cinco minutos ao fim de sua única sessão no evento. O filme é dirigido pelo alemão Wim Wenders e pelo filho de Sebastião, Juliano Ribeiro Salgado, que estavam presentes.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave