Em ano eleitoral, vereadores priorizam atividade externa

Visitas técnicas cresceram 1.667% de fevereiro a maio deste ano em comparação a igual período de 2013

iG Minas Gerais | Flávia Carneiro |

Esforço. Vereadores de Belo Horizonte se empenham na realização de atividades externas, em que podem ter contato direto com o eleitor
DOUGLAS MAGNO/O TEMPO
Esforço. Vereadores de Belo Horizonte se empenham na realização de atividades externas, em que podem ter contato direto com o eleitor

Vereadores de Belo Horizonte arrumaram uma forma de ficar cada vez mais perto dos eleitores, principalmente neste ano de eleições para deputados federal e estadual. Pelo menos a metade dos 41 parlamentares da Câmara vai disputar o pleito que acontece em outubro.  

No período entre fevereiro e maio deste ano, foram realizadas 50 visitas técnicas fora da Câmara, em que os parlamentares puderam ver in loco os problemas da cidade. Se comparado com o mesmo período de 2013, houve crescimento de 1.667% no número de visitas técnicas externas, já que, entre fevereiro e maio de 2013, apenas três diligências foram realizadas. Durante todo o ano de 2013, foram 25 visitas externas.

A campeã na apresentação de requerimentos para a realização dessas reuniões foi a Comissão de Saúde e Saneamento, que pediu que 35 vistorias fossem feitas no período entre fevereiro e maio deste ano. Vereadores que compõem a comissão já visitaram 34 centros de saúde da capital, três Unidades de Pronto Atendimento (UPA) e dois hospitais.

Segundo o presidente da Comissão, Bim da Ambulância (PTN), o objetivo é a elaboração de um dossiê com dados reais sobre o funcionamento do sistema de saúde na cidade e, posteriormente, a votação de uma proposta sobre o assunto. “A ideia é a apresentação de um projeto de lei, propondo mudanças no sistema de saúde de Belo Horizonte. Nosso foco não é relatar problemas para o Executivo e, sim, propor soluções para a população”, disse Bim da Ambulância.

O objetivo da comissão é vistoriar, neste ano, cada um dos 147 centros de saúde da da capital, segundo o vereador. Sobre o crescimento de mais de 1.665% no número de vistorias, ele afirmou que, no ano passado, muitos colegas estavam no início do mandato e ainda pouco ambientados com o trabalho legislativo. Ele nega, entretanto, que haja motivação eleitoral na iniciativa. Bim não descarta, porém, disputar as eleições deste ano para deputado estadual. “ Ainda não fui lançado oficialmente pelo partido”, destacou.

Os parlamentares estão trocando, cada vez mais, a atividade interna pela externa, e há dificuldade para as votações em plenário. Entre fevereiro e maio deste ano, 40 reuniões plenárias ordinárias foram iniciadas, reunindo o quórum mínimo de 21 parlamentares, e outras quatro extraordinárias. Apesar do número, apenas 17 projetos foram aprovados durante essas reuniões. Boa parte das ordinárias fecharam sem que haja votação.

Indicações

Volume. Entre fevereiro e maio de 2013, 466 indicações foram apresentadas e 441 aprovadas. No mesmo período deste ano, 104 indicações foram apresentadas e nenhuma aprovada.

Presidente diz que não há prejuízo das reuniões plenárias O presidente da Câmara, vereador Léo Burguês (PTdoB), que vai concorrer para deputado estadual, disse que as visitas externas aumentam a participação popular no Legislativo municipal. “E isso foi um dos compromissos quando assumi esse mandato”. Como muitas visitas acontecem no período da manhã, ou até de noite, Léo Burguês garantiu que elas não atrapalham as reuniões ordinárias da Casa e têm dado resultados práticos, como a reforma de equipamentos públicos e de postos de saúde. O presidente da Casa disse ainda que as visitas aproximam cada vez mais os vereadores dos eleitores da capital.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave