Silvio Santos segue líder de audiência

Carismático, dono do SBT comanda os domingos da TV, e sem concorrentes

iG Minas Gerais |

Qualidades. Empatia do público com o apresentador é uma das razões que explicam seu sucesso
unknown
Qualidades. Empatia do público com o apresentador é uma das razões que explicam seu sucesso

São Paulo. Silvio Santos ainda reina na TV brasileira nas noites de domingo, em sintonia com o público e o elenco que o acompanham. No último fim de semana, com 11 pontos de audiência durante o “Jogo dos Pontinhos” e as pegadinhas, o “Programa Silvio Santos” (SBT) foi líder no Ibope pela terceira semana seguida na faixa das 23h.

Lívia Andrade defende que o segredo está na espontaneidade do patrão. “A liberdade que temos no estúdio é passada ao telespectador. E, antes de a gravação começar, ele faz piadas e conversa com a plateia por até 15 minutos. Ficam todos integrados”, diz. Alexandre Porpetone, que faz o Cabrito Tevez, confirma: “Ele percebe as reações da plateia e sabe o que agrada o público. Tem um carisma que conquista o Brasil”.

Quem o conhece há mais tempo reforça suas qualidades. “Silvio é o maior comunicador do Brasil e soluciona problemas com maestria”, diz a apresentadora Christina Rocha. Ratinho observa: “Ele nos ensina a comandar os negócios com seriedade, é honesto. E seus quadros têm a cara do povo”. Até quem é novo na casa vê o patrão como ídolo. “O primeiro a se divertir é o Silvio Santos. Ele é verdadeiro, ninguém resiste”, diz Danilo Gentili.

Carisma e empatia podem não ter explicação, mas audiência, sim. Especialistas em TV opinam sobre a popularidade do patrão do SBT, que tem desbancado a concorrência na audiência dominical. “Ele sempre foi uma ameaça para a Globo, por conta do carinho que o povo sente por ele. E também porque o público prefere o que já conhece”, opina Nilson Xavier, crítico de TV.

Para Laurindo Leal Filho, professor de comunicação da Universidade de São Paulo (USP), Silvio criou um modelo de programa de auditório baseado na pessoa dele. “É um programa muito pessoal e até hoje não teve concorrentes à altura, por isso ele bate a audiência. Outro personagem não daria o mesmo resultado”, afirma. Esther Hamburger, professora de cinema e rádio e TV da USP, concorda. “A personalidade dele gera identificação e confiança. O público está mais exigente e há uma queda generalizada de audiência. Mas Silvio Santos tem consciência da força e da fragilidade dele, já que não há quem o substitua. Ele foi o pioneiro em interação, e a TV dele não se esgota”.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave