Homem sobrevive à queda de 13 metros de altura em Ribeirão Preto

Guilherme Afonso dos Santos que trabalhava para uma empresa de telefonia, estava no forro do prédio quando caiu no fosso aberto para a futura instalação de um elevador

iG Minas Gerais | DA REDAÇÃO |

Um auxiliar técnico de uma empresa de telefonia sobreviveu à queda de cerca de 13 metros de altura --quatro andares-- enquanto trabalhava na instalação de cabos em um prédio residencial na tarde desta terça-feira (20) em Ribeirão Preto (313 km de São Paulo).

O acidente ocorreu no Jardim Ana Maria, na zona sul. Guilherme Afonso dos Santos, 22, que trabalhava para uma empresa que atende à GVT, estava no forro do prédio quando caiu no fosso aberto para a futura instalação de um elevador.

Outro funcionário da empresa que trabalhava com ele e estava do lado de fora do prédio chamou a Polícia Militar e o Corpo de Bombeiros.

"Como ainda não há elevador [instalado], nós tivemos de abrir a parede para resgatá-lo", afirmou o subtenente do Corpo de Bombeiros João Carlos Zago. A corporação levou 20 minutos para conseguir retirar Santos do fosso.

"Nossa maior dificuldade foi evitar que detritos do prédio caíssem sobre ele", disse o subtenente. Santos sofreu uma fratura no fêmur e escoriações pelos braços e rosto. Ele esteve consciente durante todo o tempo e foi encaminhado para a Unidade de Emergência do HC (Hospital das Clínicas).

O pai dele, Marcos Santos, afirmou que recebeu uma ligação do filho minutos depois da queda no fosso.

"Ele me ligou e disse que havia caído. Passou o endereço e vim correndo", disse.

O pai, que também é auxiliar técnico, afirmou que ficou tranquilo quando percebeu que o filho estava conversando normalmente, embora estivesse reclamando de dores nas pernas. Ainda no fosso, Santos telefonou também para a sua namorada, de acordo com o pai dele.

O subtenente do Corpo de Bombeiros afirmou que a queda aconteceu porque houve falhas na segurança. "Se não tivesse falhas, não teria ocorrido o acidente. Pode ser uma falha do próprio profissional ou do prédio."

A Polícia Civil informou que irá investigar as causas do acidente. Já a GVT informou lamentar o ocorrido com o funcionário, que é terceirizado, e que acompanha a apuração do caso.

Com Folhapress

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave