Valcke elogia Arena Pantanal, mas cobra esforço

"Operação tem que trabalhar a todo vapor para transformar a arena em um estádio de Copa do Mundo", disse o secretário

iG Minas Gerais | AGÊNCIA ESTADO |

Esta é a nona morte de trabalhadores em obras de estádios no Brasil
Divulgação/Secopa
Esta é a nona morte de trabalhadores em obras de estádios no Brasil

Um dia depois de chegar definitivamente ao Brasil para a Copa do Mundo, o secretário-geral da Fifa, Jérôme Valcke deu prosseguimento, nesta terça-feira, a um tour pelos estádios que receberão o Mundial. Depois de cumprir agenda no Rio, o dirigente visitou, de tarde, a Arena Pantanal, em Cuiabá.

Pelo Twitter, fez elogios, mas cobrou esforço até o início da Copa. "Muito bom ver o progresso feito desde a última visita à Arena Pantanal no mês passado. Agora a operação tem que trabalhar a todo vapor para transformar a arena em um estádio de Copa do Mundo. Faltam 24 dias para Chile x Austrália", disse ele, lembrando o primeiro jogo do Mundial em Cuiabá.

Valcke chegou ao Brasil na segunda-feira e visitou o Itaquerão, onde avisou que o estádio "ainda precisa de 100% de empenho de todos para garantir a estrutura necessária para a abertura". Ele ainda lembrou que "um evento-teste não se compara em escala, necessidades e atenção global da abertura da Copa", em referência ao jogo entre Corinthians e Figueirense, domingo passado.

No Rio, nesta manhã, Valcke utilizou o lançamento de um torneio voltado a jovens carentes para defender a atuação da entidade no mundo todo. Ele declarou que a Fifa "gasta dinheiro todos os dias" para tentar fazer "este mundo um pouco melhor". Com isso, tentou blindar a entidade diante dos protestos que têm se espalhado pelo Brasil contra a realização da Copa do Mundo.

Na quarta-feira, Valcke vai cumprir agenda no Sul do País, visitando Curitiba, onde passará pela Arena da Baixada, e Porto Alegre, cidade na qual vai visitar o Beira-Rio.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave