Marketeiro diz que nunca procurou 'Dilma Bolada' para negociar página

Em nota oficial, Guadalupe esclarece que, apesar de não ter qualquer tipo de contrato com o PSDB, gostaria de trabalhar na campanha do senador tucano Aécio Neves

iG Minas Gerais | DA REDAÇÃO |

Autor de Dilma Bolada acusa a juventude do PSDB de perseguição
Reprodução/Facebook
Autor de Dilma Bolada acusa a juventude do PSDB de perseguição

A polêmica ao redor do personagem 'Dilma Bolada' cresce a cada nova declaração. Depois de Jeferson Monteiro, publicitário criador da página, ter afirmado que nas últimas semanas vinha sendo sondado por uma agência de publicidade para 'vender apoio político pela internet', o especialista em Marketing Digital Pedro Guadalupe afirma que não faz parte de qualquer equipe do PSDB e que apenas consultou o publicitário sobre a possibilidade de comercializar as páginas de sátira da presidente. 

Em nota oficial enviada à O TEMPO, Guadalupe esclarece que, apesar de não ter qualquer tipo de contrato com o PSDB, gostaria de trabalhar na campanha do senador tucano Aécio Neves à presidência. 

O marketeiro também afirma que, ao contrário do que Jeferson Monteiro publicou em sua página, ele jamais entrou em contato com o publicitário para fazer qualquer tipo de 'contrato comercial'. Apesar disso, ele diz que questionou Monteiro sobre a possível comercialização de 'Dilma Bolada' com a empresa AMA. 

"Embora não estivesse disposto a negociar a contratação da personagem, achei tão estranha oferta, que decidi apurar – mesmo sem ter comunicado essa decisão ao PSDB – se era verdade que um dos principais rostos do PT na internet estava realmente disposto a abandonar o partido" escreve Guadalupe.

Em sua conclusão, o marketeiro também afirma que chegou a informar amigos do PT sobre o diálogo e a enviar a troca de e-mails com Jeferson ao jornal Folha de São Paulo. 

Relembre a acusação de Jeferson Monteiro

Jeferson Monteiro afirma que, nas últimas semanas, vem sendo sondado por uma agência de publicidade que iria 'vender apoio político de suas páginas para as eleições deste ano'.

“A agência tinha um plano de venda de apoio político das suas páginas para as Eleições Presidenciais deste ano. Ou seja, diversas páginas que todos curtem, gostam e recebem conteúdo diários, iriam fazer campanha eleitoral para o candidato que fechasse um contrato milionário com eles e iria assim difamar os opositores, praticamente um ‘mensalet’”, afirma Monteiro.

De acordo com a mensagem publicada em seu Facebook, Monteiro apenas deu sequência na negociação para ver até onde iria a atuação da agência. De acordo com ele, a empresa já estaria negociando uma parceria para ajudar o candidato tucano Aécio Neves e sua imagem pela internet.

“A tal agência, por sua vez, disse que eles queriam que eu assinasse um contrato de exclusividade para garantir uma amarra da Dilma Bolada a eles e que pudessem efetuar a transação com os tucanos. Eu, é claro, não assinei coisa alguma”, escreve.

Confira, na íntegra, a nota enviada por Pedro Guadalupe:

"A respeito de notícias que circulam nos meios eletrônicos e na imprensa envolvendo o meu nome em negociações para contratação de Jeferson Monteiro, criador de perfis fakes da presidente Dilma Rousseff nas redes sociais, tenho a esclarecer o seguinte:

1 – Não tenho contrato com o PSDB nem nunca tive. Já trabalhei com o PP, que é um partido da base governista aliada em Minas Gerais. 2 – É publico que desejo de participar da campanha eleitoral de 2014 com o PSDB. 3 – Em momento algum tive qualquer tipo de iniciativa de procurar a “Dilma Bolada” (Jeferson Monteiro) ou pessoas ligadas a ele para tentar fazer qualquer tipo de acordo comercial. 4 – Em 29 de abril de 2014, recebi da empresa denominada AMA, que representa personalidades e canais na internet, a informação de que a “Dilma Bolada” participava de seu casting e fui indagado se tinha interesse em contratá-la. Embora não estivesse disposto a negociar a contratação da personagem, achei tão estranha oferta, que decidi apurar – mesmo sem ter comunicado essa decisão ao PSDB – se era verdade que um dos principais rostos do PT na internet estava realmente disposto a abandonar o partido. 5 – Em 9 de maio, enviei um e-mail a Jeferson Monteiro e recebi como resposta a confirmação de que ele estava aberto a negociações. Nesse episódio, eu tive sorte, mas fui ingênuo. Sem saber o que fazer com a informação de que a “Dilma Bolada” estava à venda, encaminhei os emails que comprovam a negociação ao jornal "Folha de S. Paulo", às 14h de 19/05/2014. Essa foi a minha sorte, já que demonstra que a iniciativa de divulgar o diálogo foi minha. Cometi, no entanto um ato de ingenuidade: avisei a alguns amigos que trabalham com o PT que a "Folha de S. Paulo" estava com esse material e avaliava a publicação de uma matéria a respeito. Creio que essas pessoas alertaram Jeferson Monteiro, que antecipou a sua versão dos fatos. Basta, no entanto, ler os tópicos do diálogo para constatar a realidade dos fatos. Fica no ar a indagação: como o diálogo foi travado em 9 de maio, por que ele esperou até ontem (19) para divulgar a sua história? Não pode ser apenas coincidência o fato de Jeferson Monteiro ter decidido se manifestar justamente no momento em que a "Folha de S. Paulo" recebeu a informação."

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave