Corinthians espera laudo para liberar venda de ingressos

Carga da partida entre Timão e Cruzeiro deve ser superior aos 35 mil que estavam no Itaquerão no último fim de semana

iG Minas Gerais | AGÊNCIA ESTADO |

Instagram/Corinthians
undefined

Depois de confirmar na noite de segunda-feira que a partida contra o Cruzeiro, pelo Campeonato Brasileiro, não vai mais acontecer no Estádio do Canindé e sim no Itaquerão, o Corinthians aguarda o laudo de aprovação do Corpo de Bombeiros, antes de liberar a venda de ingressos para o jogo, agora marcado para o dia 29 de maio, às 16 horas, e que servirá como teste para a Copa do Mundo.

Ao contrário do que aconteceu na derrota do Corinthians contra o Figueirense, quando o estádio recebeu 36 mil torcedores, uma carga bem maior de ingressos, próximo ao da capacidade total do estádio, de aproximadamente 65 mil pessoas, deve ser disponibilizada, já que uma das principais alegações da Fifa para o local receber outro evento-teste antes da Copa do Mundo é testar todas as arquibancadas móveis, que estiveram com as partes superiores fechadas no jogo entre Corinthians e Figueirense.

De acordo com o gerente de operações do Itaquerão, Lucio Blanco, o estádio não deve receber 100% de sua capacidade. "Geralmente trabalhamos com a possibilidade de liberar número um pouco menor até pelo fato de o torcedor ainda não estar adaptado a sentar no local correto", disse. Além disso, a expectativa é que o local receba aproximadamente 50 mil torcedores na tarde do dia 29 de maio.

RESSEARCIMENTO - Quem foi pego de surpresa com a mudança de local foram os próprios corintianos. Por meio do programa Fiel Torcedor, alguns torcedores já haviam comprado o ingresso para a partida contra o Cruzeiro, que aconteceria no Estádio do Canindé às 22 horas do dia 28 de maio. Mesmo assim, a mudança de local e de horário não são motivos de preocupação no clube.

Blanco esclarece que a situação deve ser resolvida sem grandes problemas para ambas as partes. "Tecnicamente é possível fazer as alterações sem nenhum problema. A comunicação entre o programa e os sócio-torcedores é muito boa e quem não conseguir ir até a Arena, deve ter o seu dinheiro devolvido", afirmou o gerente, que admitiu a possibilidade de um pequeno reajuste no preço dos ingressos.

Leia tudo sobre: corinthianscruzeiroitaquerãoingressosvendatorcedores