Luan, Marcelo Moreno e Mattos são denunciados por STJD

Trio celeste será julgado por expulsões no clássico, no dia 11 de maio, no Independência, e por ofensas à bandeirinha Fernanda Colombo

iG Minas Gerais | DA REDAÇÃO |

Marcelo Moreno foi suspenso após a partida, e responderá por ameaças ao árbitro e insinuação de roubo
Washington Alves/Light Press
Marcelo Moreno foi suspenso após a partida, e responderá por ameaças ao árbitro e insinuação de roubo

As muitas reclamações do Cruzeiro contra a arbitragem de uma forma geral, e especificamente, contra a bandeirinha Fernanda Colombo, no clássico do dia 11 de maio, foram listadas e incluídas nos artigos do Código Brasileiro de Justiça Desportiva (CBDJ) pelo STJD. O órgão oficializou denúncias contra os atacantes Luan e Marcelo Moreno e contra o diretor Alexandre Mattos. O clube também deve ser punido por ter atrasado em cinco minutos a entrega da lista de relacionados para o jogo. O julgamento ainda não tem data marcada para acontecer.

Dos três, o que tem a situação mais “branda” é Luan. O jogador recebeu cartão vermelho durante a partida por uma cotovelada em Leonardo Donizete e será enquadrado no artigo 254, podendo pegar de um a seis jogos de suspensão.

Já o boliviano Marcelo Moreno, artilheiro do clube no Brasileirão com três gols, foi denunciado com base nos artigos 184 e 243-C e F, referente a uma ameaça relatada na súmula por Heber Roberto Lopes e pelo gesto de roubo que o jogador fez com as mãos. Caso condenado, o atleta pode ser multado em R$ 100 a R$ 100 mil, e a suspensão varia de 30 a 120 dias. Em um cenário de punição leve, Moreno ficaria de fora de uma a seis partidas.

O problema maior é do diretor de futebol da Raposa, Alexandre Mattos. Revoltado com os erros cometidos pela Fernanda Colombo, o dirigente disse publicamente que por ser “bonitinha”, a assistente deveria ir “posar na playboy”. Mattos gravou um vídeo em que pede desculpas e deseja uma carreira de sucesso à Fernanda, mas, em entrevista concedida à TV Globo, a própria bandeirinha não “aceitou” o pedido.

“Sem adentrar na discussão do lance, ou seja, se houve ou não erro na marcação do impedimento, é inaceitável que a reclamação venha na preconceituosa sugestão de que a Assistente posasse nua para determinada revista masculina”, relata o STJD na denúncia.

A punição para o diretor é uma multa que varia de R$ 100 a R$ 100 mil reais, suspensão de 120 a 360 dias e gancho de cinco a dez partidas.