Governo lança plano agrícola com juro menor que o mercado

Lançamento foi feito pela presidente Dilma Rousseff

iG Minas Gerais |

PAP. Dilma Rousseff garantiu que se setor precisar de mais crédito, governo vai garantir a oferta
Roberto Stuckert/presidência da república
PAP. Dilma Rousseff garantiu que se setor precisar de mais crédito, governo vai garantir a oferta

BRASÍLIA. O governo federal vai oferecer R$ 156,1 bilhões em financiamentos para produtores rurais no Plano Agrícola e Pecuário (PAP) 2014/2015. O valor é 14,7% maior que o disponibilizado no ano passado e os produtores vão pagar juros menores que os praticados no mercado. O plano foi lançado nesta segunda de manhã, no Palácio da Planalto, pela presidente Dilma Rousseff e pelo ministro da Agricultura, Néri Geller.

O PAP 2014/2015 prevê financiamento de R$ 132,6 bilhões com juros menores. As taxas mais baixas estão nas modalidades armazenagem, irrigação e inovação tecnológica (4% a.a.), além de 5% para o crédito de armazenagem para cerealistas. Já as práticas sustentáveis terão juros de 5% e os médios produtores, de 5,5%. Já o financiamento para aquisição de máquinas e equipamentos agrícolas terá taxa de juros de 4,5% a 6%, segundo o governo.

“A grande maioria das taxas de juros é equalizada pelo Tesouro Nacional”, disse Geller. “Mesmo com a Selic passando para 11%, o custeio do Programa de Apoio ao Médio Produtor Rural (Pronamp) e do Fundo de Defesa Econômica Cafeeira (Funcafé) aumentou só 1%”, comentou. Ainda segundo o ministro, “mais de 90% dos produtores acessarão o Moderfrota para a aquisição de novas máquinas agrícolas, com taxas de juros reduzidas de 5,5% para 4,5%. “Para as cooperativas conseguimos manter juros em 7,5% para o capital de giro”, finalizou.

Assim como no ano passado, a presidente Dilma Rousseff disse que, se o setor precisar de mais crédito além do disponibilizado, o governo garantirá a oferta. “Não há nenhum impedimento se o setor, como é o caso deste ano, for bem-sucedido na ampliação do seu gasto, do acesso a crédito. Nós garantiremos os pleitos restantes”, prometeu a presidente.

Dilma Rousseff disse ainda que as taxas foram “quase integralmente preservadas” e comparou os números com as praticadas no ano anterior ao que o ex-presidente Lula assumiu o governo. Segundo ela, na época, chegavam a 10,75% em algumas linhas de crédito.

Justificativa

Juros. “Juros controlados são a realidade que viabiliza as políticas de custeio e de investimento para o setor do agronegócio”, justificou Dilma Rousseff em seu discurso nesta segunda no Planalto.

Estimativa da safra 2014/15 é 4,6% maior BRASÍLIA. De acordo com o Ministério da Agricultura, é esperada uma colheita de grãos de 200 milhões de toneladas para a safra 2014/2015 – montante que representaria um aumento de 4,6% sobre a atual safra 2013/2014, que foi estimada em 191,2 milhões de toneladas. O ministro Néri Geller reiterou que o plano traz mais recursos para comercialização e investimento, além de “manter atenção especial ao médio produtor”.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave