Inseminação dentro da nave

iG Minas Gerais | Ana Elizabeth Diniz |

A norte-americana Debbie Jordan inspirou o filme “Intruders” e o livro homônimo, escrito por Budd Hopkins. Ela afirma ter vivido uma experiência genética em 1978, quando tinha 17 anos. “Eu estava em um carro e, de repente ele parou. Havia uma luz no chão e fui puxada pelas pernas. Poucos meses depois, comecei a me sentir mal, fui ao médico e estava grávida. Fiz exames de sangue que comprovaram a gravidez. Alguns dias depois, quando me recostei no sofá senti alguma coisa tocando minhas costas, apaguei e quando acordei senti que meu bebê havia sumido. Eu não me sentia mais grávida”.  

Debbie diz que só conseguiu falar sobre o assunto em 1984 porque morria de medo dos seres “cinzas”, os conhecidos “greys”, na literatura ufológica. “Não tenho dúvida de que fui inseminada e posteriormente, em uma outra abdução, o bebê foi retirado em uma nave-maternidade para onde fui levada. Nunca conversei com eles, mas sabia o que eles pensavam. Certa vez fui levada para um ambiente extraterrestre e uma mulher surgiu ao fim de um túnel de mãos dadas com uma criança que eu reconheci como a minha filha. Eu nunca a esqueci. Hoje ela teria 36 anos e, às vezes, andando pelas ruas, vejo pessoas que acho parecidas com ela”.

A norte-americana diz que os extraterrestres disseram que a menina híbrida não sobreviveria aqui na Terra. “Quando a vi, senti raiva deles, depois decepção, depressão. Atualmente conservo a esperança de um dia poder encontrá-la”, finaliza. 

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave