A voz da Massa

iG Minas Gerais |

Saudações alvinegras! A vitória do Galão da Massa sobre o Peixe na última rodada do Brasileirão foi incontestável e sensacional. Sobretudo em dois ótimos aspectos: primeiro, a coragem e audácia de Levir Culpi que, ao ver a desvantagem no placar, não pensou duas vezes, sacou o volante Rosinei e voltou do intervalo com mais um atacante, o jovem Carlos, que deu mais força e movimentação ao nosso ataque. Já dá para ver o dedo do competente Levir no Galo. Ótima notícia! Outro aspecto – e esse muito me alegra – foi ver que, apesar dos dois gols terem sido feitos pelo Bebezão, a virada do Galo teve participação direta dos meninos oriundos da base, Carlos, Eduardo, Alex Silva e, especialmente, Marion. Aliás, o que jogou o Marion foi impressionante! Enfim, o Galo mereceu o resultado, pois fez, se não a melhor, certamente a mais promissora partida na temporada.

A voz Celeste

A vitória de sábado, sem dúvida vai dar novo ânimo ao maior de Minas. Estou pedindo à diretoria cruzeirense para abrir o olho, porque em todos os jogos do Brasileiro o Cruzeiro foi prejudicado. Mesmo naqueles que vencemos, pelo menos um erro grotesco os árbitros tiveram contra a gente. Parece coisa orquestrada. Mas o que interessa é que os jogadores conseguiram digerir a eliminação da Libertadores, e estamos de volta, sendo um dos favoritos ao título do Brasileirão. O zagueiro Dedé, depois que foi confirmado fora da Copa, falhou em todos os jogos. É bom jogador e espero que se recupere rápido, mostrando o futebol que o trouxe ao maior de Minas. Agora é a vez de pegar o Sport, amanhã, dentro da nossa casa. A vitória pode nos levar à liderança. É importantíssimo na parada para a Copa do Mundo estar na frente. Vamos criando gordura para o resto do campeonato.  

Avacoelhada Em busca da manutenção da liderança na Série B, o América enfrenta o Joinville, às 19h30, no Mineirão. Enquanto Thiago Santos é opção de segurança para o lugar de Andrei, Doriva é mais participativo na transição. Ainda há possibilidade de utilização de Elsinho no meio de campo. Diney é o que mais se aproxima da característica agressiva de Ricardinho. Tchô e Henrique também são alternativas de reposição. No primeiro tempo do jogo contra o Vila Nova-GO, o time americano ficou bem distribuído taticamente, com a utilização centralizada de Mancini e as participações defensivas e ofensivas de Ricardinho e Willians, em cada beirada. Faltou aumentar a eficiência na troca de passes, o posicionamento mais avançado de Obina e cruzamentos precisos de Pablo e Gilson. Apesar da expulsão, que poderia ter sido evitada, destaque para Ricardinho.

 

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave