PSB boicota lançamento de chapa tucana em Minas

Pelo acordo firmado entre os dois pré-candidatos ao Planalto, o PSB apoiaria o PSDB em Minas e o contrário ocorreria também em Pernambuco

iG Minas Gerais | DA REDAÇÃO |

O grande evento do PSDB liderado pelo senador e presidenciável Aécio Neves em Minas Gerais para a apresentação da chapa majoritária que concorrerá ao governo estadual e ao Senado não contou com a presença do PSB do ex-governador e presidenciável Eduardo Campos nesta segunda-feira (19), em Belo Horizonte.

Todos os partidos aliados aos tucanos em Minas estavam lá, menos o PSB, que integra a base aliada desde 2002. A ausência do PSB no pré-palanque do ex-ministro tucano Pimenta da Veiga, que disputará o governo estadual, reforça a tese de que Campos poderá mesmo romper o acordo feito com Aécio e lançar candidato no Estado.

Questionado sobre essa possibilidade, Aécio disse que tem visto isso pelos jornais, mas que, da sua parte, todos os acordos políticos que firmar serão "honrados". Aécio disse que a pergunta sobre o PSB ter ou candidato em Minas deve ser feita a Campos.

Pelo acordo firmado entre os dois pré-candidatos ao Planalto, o PSB apoiaria o PSDB em Minas e o contrário ocorreria também em Pernambuco, com os tucanos apoiando o candidato de Campos ao governo pernambucano.

"Eu continuo -como diria o velho [escritor] Otto Lara Resende [1922-1992]- aonde sempre estive. Meu objetivo é encerrar esse ciclo de governo que aí está e iniciar um outro, com planejamento, com ética, com decência, com resultado, sobretudo com competência, tudo que falta ao atual governo", disse o tucano sobre seu acordo de segundo turno com Campos.

Aécio afirmou ainda que tem de ver as condições dos outros candidatos. "Eu não mudarei a minha estratégia e tampouco os entendimentos e acordos que firmei. Pelo menos da minha parte eles serão honrados."

Indagado, então, sobre a eventual candidatura do PSB em Minas, Aécio disse: "Tenho visto isso pelos jornais. Como disse, da minha parte os acordos firmados serão honrados, tem que perguntar isso para ele [Campos]".

Além de Pimenta como candidato a governador, a chapa terá como vice o deputado estadual Dinis Pinheiro (PP) e, como candidato ao Senado, o ex-governador tucano Antonio Anastasia. O nome de Pimenta já tinha sido lançado em outro evento parecido, que contou com a presença do presidente estadual do PSB, deputado federal Júlio Delgado.

Antes do lançamento da chapa, nesta segunda, contudo, Delgado disse que a presença do PSB no evento anterior se deu porque havia o indicativo de aliança. Agora, segundo ele, essa possibilidade ainda existe, mas também é real a possibilidade de candidatura própria.

O próprio nome de Delgado é um dos que estão colocados para essa disputa estadual, que daria palanque a Campos no segundo maior colégio eleitoral do país. Além dele, está colocado o nome do ambientalista Apolo Heringer, que é ligado à Rede, o partido de Marina Silva que não conseguiu ser legalizado na Justiça Eleitoral.

VICE

Sobre ter como eventual candidato a vice-presidente Henrique Meirelles, ex-presidente do Banco Central no governo do petista Lula, Aécio disse que o partido dele, o PSD, está na base do governo federal e que ele respeita essa aliança anunciada.

"Cabe a mim respeitar e aguardar que as coisas avancem [sobre o seu vice]. Não dou sinais que depois não possam ser correspondidos. Meirelles é um nome extremamente qualificado, mas seu partido que tem compromisso com a presidente da República. Se isso mudar, vamos conversar", afirmou o tucano.

 

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave