Homenagem pela Luta antimanicomial reúne 800 pessoas na Afonso Pena

Evento foi organizado com o apoio do Batalhão de Trânsito da Polícia Militar, que auxilia agentes da BHtrans nos desvios por ruas paralelas

iG Minas Gerais | CAMILA KIFER |

Uma homenagem pela Luta antimanicomial reúne 800 pessoas, de várias cidades do Estado, em uma passeata pela avenida Afonso Pena, no centro de Belo Horizonte, na tarde desta segunda-feira (19). O trânsito em uma das principais avenidas da capital está interditado pelo ato que ocupa todas as faixas da via. O Batalhão de Trânsito da Polícia Militar e agentes da BHtrans controlam os desvios por ruas paralelas. 

O evento organizado pelo Fórum Mineiro de Saúde Mental e Associação dos Usuários dos Serviços de Saúde Mental de Minas Gerais (ASUSSAM) tem o objetivo de conscientizar a população e lembrar o 'Dia Nacional da Luta Antimanicomial', comemorado no dia 18 de maio, que este ano caiu no domingo.

A passeata foi programada em conjunto com a Polícia Militar, que segue acompanhando visualmente o ato, conforme a polícia. Além disso, militares organizam desvios ao longo dos trechos interditados, já que os participantes seguem em deslocamento.

O ato intitulado pelos organizadores como político-cultural apresenta formato de desfile de escola de samba. As 800 pessoas que participam da homenagem começaram a se concentrar na Praça da Liberdade, na região Centro-Sul da capital, por volta de 15h, onde seguiram em passeata com destino a Praça da Estação, no centro da cidade.

Antes do evento, a expectativa era de reunir aproximadamente 4 mil pessoas, entre trabalhadores, usuários e familiares dos serviços substitutivos em saúde mental, representantes de movimentos sociais, culturais e outras organizações da sociedade civil, vindos de mais de 20 municípios do estado.

Por volta de 16h32, a rua Espírito Santo precisou ser interditada para a passagem da passeata que segue em direção a Praça da Estação. 

 

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave