Suspeito de matar argentina grávida continua em liberdade

A Justiça aceitou a denúncia do Ministério Público contra ele, mas não o pedido pela sua prisão preventiva; ele é acusado de enforcar, atirar e jogar o corpo da companheira - grávida de sete meses - de um carro no bairro Calafate em fevereiro do ano passado

iG Minas Gerais | JULIANA BAETA |

A Justiça recebeu a denúncia do Ministério Público de Minas Gerais (MPMG) contra o brasileiro acusado de matar a companheira argentina no bairro Calafate, região Oeste da capital, mas não aceitou o pedido pela prisão preventiva do suspeito. A denúncia foi acatada mais de um ano após o crime. Segundo o Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG) o processo já começa a entrar na fase de instrução, quando testemunhas e suspeito passam a ser chamados para as audiências.

A denúncia foi aceita pela juíza Amalin Aviz Sant´Anna no dia 7 de maio deste ano com base no inquérito policial. José Antônio Mendes de Jesus, 32, chegou a ser preso pelo crime na ocasião, em fevereiro do ano passado, mas foi liberado por falta de provas, apesar de uma subtenente da Polícia Militar ter testemunhado o assassinato e reconhecido o homem como autor do crime.

Ele teria enforcado a empresária argentina Maria Silvina Valéria Perotti, 33, grávida de sete meses, depois atirado nela e jogado o corpo para fora do carro, em fevereiro do ano passado.

O menino Mateus Santiago foi salva em uma cesariana de emergência, após ficar internado por um mês e uma semana na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Hospital Júlia Kubitschek. A criança, atualmente, está sob a guarda da avó materna.

O suspeito continua aguardando as intimações do processo em liberdade. 

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave