Ex-delegado Geraldo Toledo vai a júri popular por morte de adolescente

Crime aconteceu em abril do ano passado, quando ele teria atirado na cabeça da ex-namorada na estrada entre Ouro Preto e Lavras Novas

iG Minas Gerais | JULIANA BAETA |

Delegado está preso na Casa de Custódia do Policial Civil, em Belo Horizonte
Reprodução / Facebook
Delegado está preso na Casa de Custódia do Policial Civil, em Belo Horizonte

O Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG) confirmou nesta segunda-feira (19) que o ex-delegado da Polícia Civil Geraldo do Amaral Toledo Neto, 40, preso sob a acusação de matar a ex-namorada de 17 anos, vai a júri popular. O órgão, no entanto, não informou a data do julgamento.

O réu, continua detido na Penitenciária Professor Jason Soares Albergaria, em São Joaquim de Bicas, na região metropolitana de Belo Horizonte. Ele está em uma ala específica para ex-agentes de segurança, com o objetivo de evitar conflitos com outros presos.

Relembre

O ex-delegado é acusado de atirar na cabeça da ex-namorada Amanda Linhares em uma estrada entre Ouro Preto e Lavras Novas, no dia 14 de abril do ano passado. Depois disso, ele foi exonerado da Polícia Civil e teve a demissão publicada no Diário Oficial do Estado.

Todos os indícios e provas do assassinato apontaram Toledo como autor do assassinato de Amanda, que passou 51 dias internada em estado grave no Hospital de Pronto Socorro João XXIII, antes de morrer. Inicialmente, a defesa sustentou que a garota teria se matado.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave