Move na Antônio Carlos tem passageiros confusos no primeiro dia útil

Usuários não sentiram muita diferença no tempo da viagem; quem precisou comprar bilhete precisou encarar fila

iG Minas Gerais | CAROLINA CAETANO |

O primeiro dia útil do Move (nome dado ao BRT da capital, sigla em inglês para transporte rápido por ônibus) da avenida Antônio Carlos, na manhã desta segunda-feira (19), foi marcado por muitos passageiros confusos.

Mesmo com funcionários da BHTrans disponíveis para informações e placas provisórias, usuários desciam dos seus ônibus e ficavam perdidos. Outro fator negativo  apontado pelos passageiros foi a questão do tempo total gasto na viagem.

“Na minha opinião, piorou demais. Agora vou ter que pegar três ônibus e gasto o mesmo tempo”, disse a faxineira Aline Gomes, de 30 anos.

Além da demora, os ônibus também estavam cheios. Quem precisou adquirir o bilhete teve que encarar uma longa fila. A reportagem de O TEMPO gastou 10 minutos para realizar a compra.

Apesar das críticas, o sistema também foi elogiado. O comerciante Manoel Antunes, de 58, aprovou o sistema, mas achou longo o tempo de espera.

“Aprovei o sistema como um todo, mas era preciso que o intervalo entre o ônibus diminua no horário de pico”, disse Antunes.  

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave