Ponto tradicional de torcedores no Rio recebe pichação de protesto

iG Minas Gerais |

Gisele Bündchen em ensaio para “Elle” com as cores da seleção brasileira
Reprodução/Instagram
Gisele Bündchen em ensaio para “Elle” com as cores da seleção brasileira

Tradicional ponto de festas e comemorações nos jogos do Brasil na Copa do Mundo, a esquina das ruas Conde de Bonfim e Alzira Brandão, na Tijuca, Zona Norte do Rio de Janeiro, amanheceu com a frase “S.O.S. saúde”, sinalizando para a incorporação das demandas dos protestos iniciados em junho nas festas de rua. A decoração do Alzirão – como a esquina é chamada – ainda está em estágio inicial. Rio de Janeiro.

A frase pintada no asfalto não veio da organização do evento. Semana passada, foi instalada a bandeira da Turma do Alzirão, que ontem não estava hasteada. No próximo fim de semana, começará a decoração com bandeirinhas e, cerca de uma semana antes do início da Copa, por volta do dia 5, a pintura do asfalto, informou Ricardo Ferreira, presidente Associação Recreativa e Cultural Turma do Alzirão. “Vamos pintar o asfalto todo de verde-e-amerelo e deixar a frase lá”, afirmou Ferreira.

Muitos membros da associação apoiam o protesto. “A saúde neste país está ruim mesmo”, completou Ferreira. No Rio, a impressão geral é que a decoração das ruas para a Copa do Mundo está mais atrasada do que em anos anteriores. No Alzirão, o cronograma está igual ao de outros Mundiais, mas Ferreira vê desânimo nas ruas. “O pessoal não entrou no ritmo. Aqui na Tijuca, havia normalmente de 12 a 15 ruas decoradas. Nesta Copa, são duas ou três”, disse Ferreira, para quem há um certo mal-estar com os gastos públicos com estádios.

Os eventos no Alzirão têm palco para shows e telão, a ponto de atrair torcedores de todo o Rio e rivalizar com o Fifa Fan Fest.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave