“Mercenários” em Cannes

Atores de superprodução desfilaram na Croisette em tanques de guerra; filme sobre futebol também foi lançado

iG Minas Gerais |

Time forte. Sylvester Stallone, ao centro, comandou desfile dos atores de ‘Mercenários 3’ em Cannes
Thibault Camus/associated press
Time forte. Sylvester Stallone, ao centro, comandou desfile dos atores de ‘Mercenários 3’ em Cannes

CANNES, França. A Croisette foi palco ontem de um acontecimento que só Cannes pode proporcionar: Sylvester Stallone, Arnold Schwarzenegger, Harrison Ford, Mel Gibson, Antonio Banderas e Wesley Snipes desfilaram em tanques de guerra para promover o lançamento da sequência “Os Mercenários 3”, superprodução que tem os atores no elenco.

Diante de centenas de fãs que gritavam seus nomes, as cinco estrelas de Hollywood, acompanhadas também de Jason Statham, Dolph Lundgren e do diretor Patrick Hughes saborearam o momento – sob um sol radiante – e aproveitaram para fotografar a multidão.

Escoltados por motoqueiros da polícia nacional, os dois carros BT-60 de origem russa e seus célebres passageiros deram uma volta sobre a Croisette, seguido dos fãs.

Em “Os Mercenários 3”, os heróis têm que lidar com o fato de que um deles virou traficante de armas. O primeiro episódio da série foi lançado em 2010.

“Nós somos crianças com artrite”, brincou Stallone (67 anos), sentado ao lado de Schwarzenegger durante coletiva de imprensa.

Ao serem perguntados se gostariam de interpretar algum papel imortalizado pelo outro, Stallone optou pelo “Exterminador do Futuro”, o famoso ciborg interpretado por Schwarzenegger. “Mas o Exterminador não tem boca e olhos atravessados, nem fala sussurrando, então não é pra mim”, lançou o eterno Rocky Balboa.

Futebol. O filme “United Passion”, que narra a história da Copa do Mundo, foi lançado ontem no Festival de Cannes na presença do presidente da Fifa, Joseph Blatter, a pouco menos de mês do início do Mundial no Brasil.

“É um filme de ficção mas muito importante para o futebol”, disse à imprensa Blatter, que assistiu à projeção ao lado do ator francês Gérard Depardieu.

Segundo Blatter, que neste mês manifestou sua vontade de seguir à frente da Fifa por um terceiro mandato, o filme dirigido por Frédéric Auburtin é “muito bonito” e Depardieu é “um grande ator que domina metade do filme”.

O filme foi planejado durante muito tempo, mas se mostrou difícil de montar. Fala sobre toda a história do futebol contada por três de seus presidentes mais importantes: Jules Rimet, João Havelange e Sepp Blatter.

No longa-metragem, Depardieu encarna Rimet, presidente da Fifa durante 33 anos e criador da Copa do Mundo. Depardieu, louco por futebol e torcedor do Chateauroux na França, também assistiu à estreia em Cannes e saudou a figura de Rimet, “um homem magnífico”.

No filme também atuam o britânico Tim Roth (“Reservoir Dogs”, “Pulp Fiction”, “Little Odessa”) e o neozelandês Sam Neill.

O longa contra a história do mundial desde o nascimento da ideia em 1904, quando, apesar das reticências da Inglaterra, um grupo de europeus apaixonados por futebol decide criar a insituição internacional Fifa.

“United passion” mostra como, em mais de um século de história, a Fifa sobreviveu a todas as guerras, crises e todos os grandes acontecimentos da história.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave