Astros de fora terão Mineirão como palco

iG Minas Gerais | Victor Martins |

Boris Grdanosk/AP - 22.3.2013
undefined

Um dos principais estádios da Copa do Mundo, o Mineirão vai receber seis partidas do Mundial. Sem dúvida nenhuma, a semifinal programada para o dia 8 de julho, às 17h, vai ser o jogo mais importante a ser disputado em Belo Horizonte. Mas nem por isso a capital mineira ficou mal servida no sorteio. Prova disso é o número de estrelas que vai passar pelo gramado do Gigante da Pampulha.

Messi, Falcao Garcia, Hazard, Aguero, Gerard e Rooney são alguns dos mais bem remunerados e consagrados jogadores do planeta. A expectativa é que todos eles estejam em ação quando a respectiva seleção jogar no Mineirão. A única dúvida é Garcia, que ainda se recupera de uma cirurgia.

O panorama é bem diferente do que foi na Copa das Confederações. Durante a prévia do Mundial, sempre disputada um ano antes, Belo Horizonte recebeu duas partidas na primeira fase sem muitos atrativos. Nigéria x Taiti e Japão x México foram os dois confrontos. O histórico e tradicional duelo entre Brasil e Uruguai salvou a presença do estádio mineiro na competição.

Os rivais na final da Copa de 1950 jogaram a semifinal em BH com direito a um grande jogo, com pênalti defendido por Júlio César, e virada no placar já no final da partida, com gol de Paulinho. Além do desfile de uma legião de craques internacionais, como Thiago Silva, David Luiz e Neymar do lado brasileiro. Além de Forlán, Cavani e Luis Suárez na equipe uruguaia.

Ter essa oportunidade, de ver “in loco”, aqueles atletas que atuam na Europa é o grande diferencial das partidas em Belo Horizonte. O comentarista da Rádio Globo, Marcelo Bechler resume bem essa possibilidade. “O jogo da Argentina vale pelos jogadores que ela tem. Pode ser um momento histórico falar que viu o Messi em campo, numa partida de Copa do Mundo.”

A Inglaterra é outra seleção tradicional que vai atuar em terras mineiras. Apesar de ter apenas um título, e um histórico com muitas decepções em grandes torneios, os ingleses são uma boa aposta em 2014. É o que diz o comentarista Mário Marra, da Rádio CBN.

“O técnico Roy Hodgson foi esperto e deixou a base do Liverpool como titular. Ele ganha tempo de entrosamento e poupa brigas. É uma seleção que pode surpreender nesta Copa.”

Se Bélgica e Colômbia não carregam o peso da tradição de Argentina e Inglaterra, são duas seleções que chegam com moral elevado e preparadas para dar espetáculo e encantar.

Bom para o torcedor mineiro que já comprou ingressos para os jogos, que tem a certeza que o Mineirão vai receber grandes partidas. Tanto que pelo site da Fifa só é possível comprar entradas para o jogo entre Bélgica e Argélia, mesmo assim, para usuários de cadeira de rodas. Para as demais cinco partidas todas os bilhetes estão esgotados, não importa o valor. Colômbia x Grécia: estilos distintos A Copa do Mundo em Belo Horizonte começa com Colômbia x Grécia. Mais do que a seleção de Falcao Garcia, a Colômbia tem uma grande equipe, tanto que é cabeça de chave no Mundial por conta do grande desempenho sob a gestão do argentino José Pékerman. São duas equipes com estilos de jogo completamente diferentes. Enquanto a Colômbia gosta de jogar com a bola nos pés e criar oportunidades, a Grécia vai adotar a postura que teve quando conquistou a Europa, há dez anos. Vai ser um time bem fechado e esperando apenas um contra-ataque ou uma bola parada para tentar definir o jogo. Os sul-americanos vão contar com o apoio de muitos torcedores, o que pode fazer muita diferença nesse duelo. Favoritismo inglês A seleção da Inglaterra chega ao Brasil com um time que joga todo dentro de casa. Atualmente, nenhuma outra liga é tão forte como é a inglesa. Além de segurar seus principais atletas, ainda conta com vários craques de outras seleções. O jogo diante da Costa Rica é fundamental, ainda mais por ser o adversário mais fraco do grupo, que conta também Itália e Uruguai. Mas para ir longe no Mundial e fazer bonito, vai ser preciso superar dois grandes traumas do futebol inglês. Em 1950, também em Belo Horizonte, mas no Estádio Independência, perderam para os Estados Unidos por 1 a 0 e praticamente foram eliminados. Outro fator histórico que incomoda são os fracassos da seleção nos grandes torneios. Desde que venceu a edição de 1966 da Copa, em Londres, não conseguiram mais do que uma semifinal, que foi em 1990, na Itália. Bélgica pode surpreender  Nenhuma das duas seleções têm tradição ou prestígio no cenário futebolístico, mas a Bélgica tem um time de fazer inveja para muita seleção chamada de grande. Com jogadores presentes nos principais clubes da Europa, os belgas podem ser a grande surpresa dessa Copa do Mundo. Manchester City, Manchester United, Chelsea e Atlético de Madrid são algumas das equipes que contam com jogadores belgas no elenco. Para completar, o treinador é Marc Wilmots, que fez sucesso quando jogador. Ele chegou a marcar um gol no Brasil, em 2002, mas foi anulado pela arbitragem. Com uma geração talentosa e promissora, a Bélgica promete ser uma das gratas surpresas deste Mundial que vai acontecer no Brasil. Messi praticamente ‘em casa’ Entre os jogos da primeira fase, nenhum chama mais a atenção do que Argentina x Irã. Nem é preciso lembrar que em campo vai estar uma das seleções favoritas e vários grandes jogadores, entre eles o camisa 10. Lionel Messi já foi eleito o melhor jogador do mundo em quatro oportunidades e depois de vencer tudo o que era possível, com o Barcelona, busca seu primeiro título em Copa do Mundo. E torcida é o que não vai faltar para a seleção do país vizinho. Além da grande quantidade de argentinos que vão estar presentes no Brasil, a Argentina carrega uma legião de admiradores entre os brasileiros. O que começou com a geração de Diego Maradona foi fortalecido no período de Messi. A partida vai ser a segunda dos hermanos no Mundial, até por isso não vão estar classificados ainda e é certeza de força máxima. Diante de um adversário sem muitos recursos, impossível pensar no Irã aprontando algo, a tendência é de um jogo com futebol bonito e envolvente da Argentina, com muitos gols. De preferência, alguns de Messi.

Possível confronto Brasil x Espanha Final da Copa das Confederações em 2013 e dois candidatos ao título, o jogo já pode acontecer nas oitavas de final. O primeiro do grupo A joga contra o segundo do B. Com isso, fica a expectativa de um grande clássico no Mineirão, pois alem da Espanha, que está no grupo B é a Holanda. Vale lembrar que brasileiros e holandeses já se enfrentaram em duas semifinais de Copa, em 74 e 98. Grande semifinal no Mineirão Brasil x Alemanha ou Brasil x França. Caso a Copa de 2014 se desenhe sem zebras, é possível que o Brasil retorne ao Mineirão para jogar a semifinal diante de outra grande seleção da Euroopa. Desde que todos sejam vencedores de seus respectivos grupos. Final antecipada em Minas Gerais É difícil, mas também é possível que aconteça um Brasil x Argentina no Mineirão. Mas para o torcedor mineiro ter a oportunidade de ver o maior duelo de seleções, é preciso que que o time argentino se classifique em segundo lugar no grupo F. Difícil de se imaginar um tropeço dos nossos vizinhos, já que os concorrentes são Bósnia, Irã e Nigéria.

Agenda do Mineirão

14/6 - 13h - O jogo Colômbia x Grécia abre a participação de Belo Horizonte na Copa. Primeira oportunidade de sentir o clima da competição. 17/6 - 13h - Bélgica x Argélia se enfrentam numa terça-feira. 21/6 - 13h - Argentina x Irã é o duelo mais esperado em Belo Horizonte na primeira fase. Vai ser um dia para ver o Messi no Mineirão, pela segunda vez. Ele jogou no estádio em 2008, em jogo pelas Eliminatórias para o Mundial da África do Sul. A partida entre Brasil e Argentina terminou 0 a 0. 24/6 - 13h - Costa Rica x Inglaterra fecham o grupo D, numa partida que pode ser de muita alegria ou mais uma decepção para os ingleses. 28/6 - 13h - Oitavas de final entre o vencedor do grupo A e o segundo do grupo B. 8/7 - 17h - Semifinal

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave