Arsenal vira, fatura Copa da Inglaterra e encerra jejum

Esse foi o 11º título da Copa da Inglaterra obtido pelo Arsenal, que com o troféu deste sábado se igualou justamente ao Manchester United

iG Minas Gerais | AGÊNCIA ESTADO |

Com um belíssimo gol de falta, Santi Cazorla abriu o caminho para a virada dos Gunners em Wembley
Site oficial/Divulgação
Com um belíssimo gol de falta, Santi Cazorla abriu o caminho para a virada dos Gunners em Wembley

O Arsenal chegou a estar perdendo por 2 a 0 neste sábado com apenas oito minutos de jogo, mas com uma virada heroica, com direito a um gol no estágio derradeiro no segundo tempo e um outro na etapa final da prorrogação, venceu o Hull City por 3 a 2, no Estádio de Wembley, e conquistou o título da Copa da Inglaterra.

Com o feito, o time de Londres fez a festa da torcida que foi grande maioria no palco máximo do futebol inglês e encerrou um longo jejum que durava desde 2005, quando faturou a própria Copa da Inglaterra com um triunfo sobre o Manchester United.

Esse foi o 11º título da Copa da Inglaterra obtido pelo Arsenal, que com o troféu deste sábado se igualou justamente ao Manchester United como maior campeão desta competição. Já o Hull City viu escapar a chance de ganhar o primeiro troféu de expressão de sua história.

Foram quase exatos nove anos de fila para o Arsenal, que havia se sagrado campeão pela última vez no dia 21 de maio de 2005, quando levou a melhor sobre o United na decisão do mais antigo torneio da história do futebol mundial.

O JOGO - O Arsenal, entretanto, sofreu demais para conseguir fazer o seu fanático torcedor finalmente soltar o grito de campeão. Azarão, o Hull começou o jogo com tudo e logo aos 3 minutos abriu o placar. Quinn bateu escanteio pela direita aberto, Huddlestone bateu de primeira, mascado, meio torto. Mas Chester estava no caminho da bola que iria para a linha de fundo e desviou no canto direito do goleiro do time londrino.

E, já aos 8 minutos, o Hull ampliou. Quinn de novo, desta vez pela esquerda, cruzou para a área. O zagueiro Bruce cabeceou, a bola tocou na trave e Davies bateu para o gol.

O gol deixou o Arsenal ainda mais abalado em campo e a vitória parcial do Hull por pouco não foi ampliada para 3 a 0 aos 12 minutos. Após cruzamento da direita, Bruce cabeceou de novo. A bola passou pelo goleiro e só não se transformou no terceiro gol porque Gibbs salvou em cima da linha.

O novo susto acordo o time londrino, que descontou o placar em seguida, aos 16 minutos. Cazorla bateu falta de longe, no ângulo no canto do goleiro, que ainda desviou, mas ela entrou nas redes.

Na etapa final, atrás no placar, o Arsenal passou a pressionar muito, mas sem grande criatividade. Entretanto, acabou achando o empate aos 25 minutos. Após escanteio da esquerda, Sagna brigou pelo alto e a bola sobrou para Koscielny, que virou batendo de primeira, quase na linha da pequena área, para o gol.

O Arsenal quase conseguiu virar o placar ainda no tempo normal. Aos 33 minutos, Sanogo brigou pela bola pela direita e fez o cruzamento. A bola passou por todo mundo e sobrou para Gibbs, que dominou sozinho, mas isolou na finalização.

PRORROGAÇÃO - Cheio de moral após buscar o empate por 2 a 2 e bem na parte física, o Arsenal seguiu forte no tempo extra e logo aos 3 minutos acertou o travessão em uma cabeçada de Giroud para depois Ramsey finalizar com perigo por duas vezes, aos 4 e aos 8 minutos.

O gol do título, porém, só foi sair aos 3 minutos da etapa final da prorrogação. Em boa trama do ataque, Giroud foi muito feliz ao dar belo passe de calcanhar para Ramsey, que vinha de trás e chutou forte no canto esquerdo baixo do goleiro para fazer 3 a 2.

Em seguida, aos 11 minutos, o Hull por pouco não empatou quando Aluko recebeu passe na esquerda, driblou o goleiro Fabianski, que saía no abafa, e bateu cruzado de fora da área. A bola cruzou toda a pequena área do Arsenal à frente da linha da meta, mas não entrou. E a partir dali bastou ao time londrino segurar o 3 a 2 e fazer a festa com a sua torcida.