Jogo no Itaquerão pode dar renda recorde ao Corinthians

Projeção de arrecadação do clube é de R$ 3 milhões, valor próximo ao maior registrado pelo Timão, que foi de R$ 29 milhões

iG Minas Gerais | AGÊNCIA ESTADO |

Divulgação
undefined

No primeiro jogo oficial do Itaquerão, neste domingo, contra o Figueirense, o Corinthians poderá chegar perto (ou até superar) seu recorde de arrecadação como mandante. Por outro lado, houve reclamação por parte de torcedores que participam do programa de fidelidade do clube. O motivo: o alto valor dos ingressos. Os preços podem ser reduzidos depois da Copa do Mundo. Os cerca de 36 mil bilhetes foram vendidos pela internet apenas a integrantes do Fiel Torcedor, que têm 30% de desconto em cada ingresso.

A projeção de arrecadação do clube é de R$ 3 milhões, segundo o gerente de operações da arena, Lúcio Blanco. O valor é muito próximo da maior renda já registrada na história do clube: R$ 2 9 milhões, arrecadados na eliminação para o Flamengo, apesar da vitória (2 a 1), nas oitavas de final da Libertadores, em 2010, no Pacaembu.

Arrecadar R$ 3 milhões no domingo é uma projeção factível. Basta usar como exemplo o jogo do sábado passado, no amistoso de veteranos que marcou a inauguração do estádio. Foram vendidos 17 mil ingressos e, segundo Blanco, a renda do jogo chegou a R$ 800 mil.

O valor dos bilhetes sofreu um aumento de até 350% em comparação com os praticados no Pacaembu. E foi assunto de vários torcedores nas redes sociais. Os mais prejudicados foram os que participam do plano Minha História, que pagam R$ 600 de anuidade.

No Pacaembu, esses sócios pagavam R$ 70 o ingresso (cadeira laranja). No Itaquerão, contra o Figueirense, para esse torcedor comprar um ingresso compatível (no meio de campo), ele tinha duas opções: leste inferior (R$ 180) ou oeste inferior (R$ 250).

Os ingressos para o jogo de domingo custavam de R$ 50 (atrás dos gols, setor norte ou sul) a R$ 400 (área vip). “O grande problema foi que não tivemos como utilizar as cadeiras provisórias, infelizmente não pudemos agradar a todos”, afirmou Blanco.

O Corinthians já divulgou um comunicado oficial em seu site em que admitia que ajustes podem ser feitos. “O clube vai errar e acertar até alinhar o serviço e os valores que pretende oferecer aos seus torcedores”, dizia a nota oficial.

Na sexta-feira, o ex-presidente Andrés Sanches, que antes do estádio ficar pronto, garantia que 40% dos ingressos teriam preços populares, também falou em adequar os valores. “Quando as provisórias estiverem liberadas será outro cenário”, falou Andrés, que lembrou que o estádio tem um custo. “Mas não queremos explorar ninguém, haverá lugares para todos, caros e baratos.”

O Itaquerão, orçado em R$ 820 milhões, custou R$ 1,1 bilhão. O Corinthians precisou pegar um outro empréstimo (R$ 350 milhões), além do já oferecido pelo BNDES, para fechar a conta. As arquibancadas provisórias para a Copa devem ser usadas até o fim do ano