Corpo de militar morto em assalto deve ser velado neste sábado

Dois suspeitos já foram identificados, sendo que um foi detido e o outro foi encontrado morto dentro de um carro abandonado; exame balístico irá comprovar se tiro que matou policial saiu da arma dos suspeitos ou da vítima

iG Minas Gerais | JULIANA BAETA |

O corpo do policial militar morto durante confronto com assaltantes na noite dessa sexta-feira (16), deve ser velado ainda neste sábado (17). A vítima estava à paisana quando tentou impedir um assalto e acabou baleado. Ainda não se sabe se o tiro que matou o militar partiu de armas dos suspeitos ou do próprio policial.

Segundo a Polícia Civil, as investigações estão a cargo da Delegacia de Homicídios. O militar André Luiz Neves, 27, aproveitava a folga em um bar, localizado na avenida Fleming, no bairro Ouro Preto, na região da Pampulha, quando foi abordado por três suspeitos ao entrar no carro com um amigo.  Eles exigiam celular, carteira e dinheiro.

Neves se identificou como policial militar e reagiu a tentativa de assalto, entrando em luta corporal com um dos assaltantes. pouco depois, o criminoso atirou na cabeça do militar e fugiu. Apenas após o exame de balística é que será possível saber se o tiro que matou o policial saiu da arma dos suspeitos ou do revólver de Neves, que teria caído no chão durante a briga. 

O militar foi socorrido em estado grave para o Hospital Municipal Odilon Behrens, no bairro Lagoinha, mas acabou não resistindo aos ferimentos e morreu na unidade.

Um dos suspeitos envolvidos, José Henrique da Silva Bento, 30, foi preso quando tentava fugir a pé, após o crime. Ele estava com um revólver de calibre 32 que foi apreendido. Quando abordado, ele ainda tentou resistir à prisão e sacar a arma. Por estar com escoriações, Bento foi levado para o Odilon Behrens sob escolta policial.

Ainda na noite dessa sexta, a polícia recebeu uma denúncia anônima de um veículo preto abandonado na rua Belterra, também no bairro Ouro Preto. Ao verificar o carro, a polícia encontrou o cadáver de Ítalo Pedrosa de Souza Junior, 22, que seria o segundo suspeito envolvido no crime. Já o terceiro, ainda não foi localizado nem identificado pela polícia. 

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave