O tempo passa mais rápido trabalhando

Charles Gomes Detento do semiaberto

iG Minas Gerais | Suellen Amorim |

O senhor já havia trabalhado como motorista antes?

Não, eu tinha a carteira para caminhão, mas aqui (na empresa Soluções Equipamentos) foi o primeiro lugar onde me deram a oportunidade de dirigir como trabalho.

Como era sua vida antes da prisão?

Já trabalhava na construção civil e mantinha uma lanchonete com a minha mulher. Era e sou pastor, tinha uma vida normal.

Quanto tempo se passou entre o crime (um homicídio) e o seu julgamento?

Foram 12 anos, e eu já levava uma vida normal, criava meu filho. Hoje, já tenho outro bebê.

O benefício foi importante para manter o estilo de vida que você levava antes?Foi muito importante. Eu sou pontual, não tive e nem pretendo ter outras passagens pelo crime. O tempo passa mais rápido trabalhando, e isso ajuda psicologicamente.

O senhor teve um filho há pouco tempo. Como foi quando ele nasceu?

Minha mulher ficou internada com complicações. Meu chefe providenciou escolta e me liberou um dia para que eu pudesse visitá-la.

Como o senhor encarou essa atitude da empresa?

Foi um voto de confiança. 

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave