Minas Gerais recebe 3.000 imigrantes do Haiti por ano

Maior parte deles é jovem, do sexo masculino e está em idade ativa

iG Minas Gerais | Litza Mattos |

Consulado. Durval diz que por dia são emitidos 800 vistos.
douglas magno
Consulado. Durval diz que por dia são emitidos 800 vistos.

Todos os dias cerca de 20 haitianos entram pelas fronteiras do Brasil e o contingente atual de 34 mil imigrantes deve alcançar os 50 mil até o final do ano. Cerca de 7% (3.000) dos que chegam ao país vêm para Minas Gerais, onde encontram trabalho em cidades da região metropolitana de Belo Horizonte, como Esmeraldas, Contagem e Betim.

Uma pesquisa divulgada ontem pela Puc Minas em parceria com a Organização Internacional para as Migrações (OIM) e feita a pedido do Conselho Nacional de Imigração (CNIg) com 340 haitianos revelou que esses imigrantes, em sua maioria são jovens do sexo masculino e com nível de instrução equivalente ao fundamental incompleto (veja infográfico).

Vários motivos contribuíram para o Brasil se tornar a mais nova rota de fluxo migratório, explica o coordenador da pesquisa, Duval Fernandes. “Esse crescimento é normal e acontece em qualquer processo migratório com a formação da rede. Além disso, o Brasil é atualmente a sexta economia do mundo, estamos em franco crescimento, temos oferta de trabalho e a necessidade de mão de obra. É o mesmo processo que os brasileiros fizeram para chegar a mais de 1 milhão nos Estados Unidos e mais de 500 mil na Europa”, diz.

Porém, as dificuldades de conseguir a documentação e a barreira do idioma levou a maioria dos haitianos a buscar ocupações que exijam pouca qualificação, como na construção civil. “A ideia de que os haitianos são analfabetos é errada – apenas 0,07%. Estão, nós estamos ganhando com a presença de professores, juizes e empreendedores aqui”, conclui.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave