Vitória para libertar as dores

Cruzeirenses terão a oportunidade única de reencontrar Alex e ver a última partida do ídolo no Mineirão

iG Minas Gerais | Bruno Trindade |

Na cola. Nilton (esq.) disse que o respeito por tudo que Alex Talento fez no Cruzeiro suscita muito cuidado com o meia do Coritiba
UARLEN VALERIO / O TEMPO
Na cola. Nilton (esq.) disse que o respeito por tudo que Alex Talento fez no Cruzeiro suscita muito cuidado com o meia do Coritiba

No jogo contra o Coritiba, neste sábado, às 18h30, no Mineirão, pela quinta rodada do Campeonato Brasileiro, o Cruzeiro busca retomar o foco. Não só para se recuperar da eliminação na Copa Libertadores, mas também para seguir entre os primeiros colocados do Brasileirão e voltar a repetir um futebol envolvente no Gigante da Pampulha.

Além de ajudar o time neste momento de recuperação, a torcida celeste tem outro ótimo motivo para comparecer ao maior estádio de Minas Gerais. Será a oportunidade de reencontrar, pela primeira vez, após dez anos de sua saída da Raposa, o meia Alex, ícone na conquista da Tríplice Coroa, em 2003, e um dos maiores ídolos do clube mineiro. Será a chance também de ver o “Talento Azul” atuar no Mineirão pela última vez, pois o jogador já anunciou a sua aposentadoria dos gramados para o fim deste ano.

O time estrelado quer mostrar que tem poder de reação para não deixar que o revés na competição sul-americana abata os jogadores. Porém, a equipe estrelada terá que trazer de volta a postura do campeão brasileiro de 2013 na Pampulha para triunfar. Diferentemente do ano passado, quando mostrava força no estádio ao sufocar os rivais e marcar muitos gols, na atual temporada os cruzeirenses têm tido muitas dificuldades para vencer os seus adversários e mostrar grandes atuações.

Tirando a partida contra a Universidad de Chile, quando deu show e fez 5 a 1, a Raposa está devendo uma grande exibição como mandante. Nos últimos seis jogos no estádio, foram quatro empates e duas vitórias, sendo que, nas três últimas partidas, o Cruzeiro ficou sem conquistar os três pontos.

Para o volante Lucas Silva, a equipe tem sofrido com o azar. “Acredito que tem faltado um pouquinho de sorte, de capricho, porque nas outras competições conseguimos, no início dos jogos, dar um abafa no adversário e fazer os gols, que davam uma tranquilidade muito grande. Na Libertadores, não foi bem assim”, disse.

Além de caprichar nas finalizações, os cruzeirenses precisam tomar muito cuidado com Alex, que tem muita qualidade técnica.

“Com o Alex em campo, o Coritiba fica mais técnico, mais leve. Pelo que ele representa para o Cruzeiro, pelos títulos que conquistou e por sua carreira, temos que respeitá-lo e marcá-lo de perto. Não podemos deixá-lo criar as jogadas”, alertou o volante Nilton.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave