Mulher bêbada tem o triplo de chance de ser estuprada

Pesquisa da Unifesp diz que homem estupra ‘bêbado ou sóbrio’

iG Minas Gerais | Raquel Sodré |

Um recorte feito no Levantamento Nacional de Álcool e Drogas revela: mulheres que abusam do álcool têm 3,6 vezes mais chances de serem estupradas.

O dado foi apresentado ontem em um seminário sobre álcool e violência. A pesquisa foi realizada pela Universidade Federal de São Paulo (Unifesp) e contou com a participação de mais de 4.600 pessoas em 149 cidades do país. O “abuso” tratado pela pesquisa é configurado pela ingestão de quatro ou mais unidades alcoólicas – equivalentes a uma latinha de cerveja ou uma taça de vinho – em até duas horas.

A psicóloga Clarice Sandi Madruga, autora da pesquisa, afirma que a relação entre o estupro e o álcool independem de idade, classe social ou educação. “Ao usar álcool abusivamente elas não evitam ou não previnem situações de risco”, relata.

A também psicóloga Simone Francisca de Oliveira concorda. “O álcool é um desinibidor. Assim, álcool ou drogas colocam as pessoas em situações de risco. A pessoa alcoolizada sofre uma diminuição de seu senso crítico e de seu autocontrole, o que pode levá-la a se expor a mais situações de risco. Uma mulher alcoolizada, por exemplo, pode criar coragem de pegar uma carona com um desconhecido, por exemplo”, afirma. Simone é professora do curso de psicologia do Centro Universitário Una e psicóloga do centro de atendimento à mulher em situação de violência de Contagem Bem-Me-Quero.

A bebida, no entanto, não deve ser considerada o motivo por que uma mulher é estuprada. “A mulher que bebe não estava ‘pedindo para ser estuprada’. Já o homem que estupra enquanto está bêbado o faria também se estivesse sóbrio. O álcool não causa esse tipo de comportamento, somente o potencializa”, ressalta a professora. “Mas a mulher pode prevenir vários tipos de violência, inclusive o estupro, evitando a intoxicação por álcool”, complementa Clarice.

Violência urbana. O trabalho da universidade traz também dados sobre violência urbana de uma forma geral. Segundo o levantamento, uma pessoa alcoolizada tem duas vezes mais chances de agredir alguém e uma e meia vez mais chances de sofrer agressão. Esse número aumenta para quatro vezes caso a pessoa seja dependente de álcool.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave