Eles são brasileiros, mas jogarão ‘fora de casa’

iG Minas Gerais | Diego Costa |

Diego Costa é o principal nome entre os sete brasileiros que se naturalizaram em outros países do mundo
Andres Kudacki/ ap photo - 4.3.2014
Diego Costa é o principal nome entre os sete brasileiros que se naturalizaram em outros países do mundo

Quem nunca sonhou em ser um jogador de futebol e disputar uma Copa do Mundo? E se o Mundial for sediado no país onde o jogador nasceu? Neste ano, 30 atletas nascidos no Brasil podem ter a oportunidade de realizar tal feito. Mas, ao contrário dos 23 que atuarão com a camisa amarelinha da seleção, os outros sete não se sentirão tão em casa.

A lista é encabeçada pelo agora espanhol Diego Costa. Natural de Lagarto, em Sergipe, o atacante do Atlético de Madrid chegou a jogar pela seleção brasileira em dois amistosos, contra a Itália e a Rússia. No ano passado, ele frustrou o técnico Felipão e decidiu jogar pela Fúria. Já fez uma partida com os novos companheiros de seleção: também foi em um amistoso contra os italianos. Completam essa lista de brasileiros que atuarão por outras seleções Marcos Gonzáles (Chile), Pepe (Portugal), Rômulo e Thiago Motta (Itália) e Eduardo da Silva e Sammir (Croácia).

O ex-jogador Deco, que se aposentou no Fluminense no ano passado, é outro brasileiro que deixou a seleção brasileira de lado e chegou até a jogar Copas do Mundo por seu “novo país”. Ele disputou os Mundiais de 2006, na Alemanha, e de 2010, na África do Sul. Natural de São Bernardo do Campo, em São Paulo, Deco foi cedo para o futebol europeu.

“Para mim, foi especial jogar a Copa por Portugal. Foi o país onde cresci. Fui para lá com 18 anos. É um país que amo”, afirmou Deco, que foi convocado justamente por Luiz Felipe Scolari, em 2003, quando o treinador brasileiro assumiu Portugal. Ele conseguiu a dupla cidadania após grandes temporadas pelo Porto-POR.

A história de Diego Costa é semelhante. Ele saiu cedo do Brasil. Após tentar a sorte em clubes pequenos do futebol nacional, inclusive em Minas Gerais, no modesto Yuracan, de Itajubá, a oportunidade de ouro surgiu em Portugal. Aos 17 anos, o jogador seguiu rumo à terra lusitana. Atuou por Braga e Penafiel. Em seguida, aos 19, começou sua trajetória no futebol espanhol. Jogou por Celta de Vigo, Albacete, Valladolid e Rayo Vallecano. Mas foi com a camisa do Atlético de Madrid que ele despontou para o mundo e chamou a atenção de Luiz Felipe Scolari e também do técnico da Espanha, Vicente del Bosque.

Primo de Diego Costa, Robson Santos acredita que o jogador tomou a decisão certa ao optar pela seleção espanhola. “Não teve nada programado. Ele tinha o sonho de vestir a amarelinha. Mas o que acabou acontecendo foi consequência do trabalho e da vivência dele no exterior. E tudo é fruto também do reconhecimento que ele teve na Espanha”, disse Robson, que é coordenador da escolinha de futebol Bola de Ouro, onde o atacante começou a carreira.

Deco vê a situação de Diego Costa um pouco mais complicada que a dele próprio. Até por isso, houve maior polêmica na escolha do atacante em jogar pela Espanha. “No caso dele, a diferença é que ele teve a grande chance de jogar em uma seleção que pode ser campeã do mundo. Ele também é centroavante, cobiçado. Foi uma decisão pessoal. Ninguém nunca deu valor a ele e agora teve essa oportunidade”, ressaltou. Com a Copa no Brasil, Deco também reconhece que o jogador deverá sofrer maior pressão da torcida. “Lógico que terá. Isso é normal. É um jogador brasileiro atuando por outra seleção. É natural. Mas creio que não vai ser um problema para ele”, pontuou.

Se a opção do jogador pode causar polêmica com a torcida brasileira, o mesmo não pode ser aplicado à família do atacante e ao município de Lagarto, onde o jogador nasceu. “Na cidade em si, é uma paixão. A família hoje faz com que todos torçam para o sucesso do Diego. Então, vamos torcer para a Espanha”, revelou Robson.

CONQUISTA. E não é só a Copa do Mundo que está movimentando a cidade de Lagarto. A atual temporada tem dado grandes emoções para os conterrâneos e familiares de Diego Costa. Hoje, o Atlético de Madrid pode conquistar o Campeonato Espanhol diante do Barcelona. No dia 24 de maio, é a vez de Diego entrar em campo pela final da Liga dos Campeões da Europa, em outro clássico, desta vez contra o Real Madrid. A decisão será em Lisboa, Portugal. Robson conta que familiares do atleta viajaram para o continente europeu e vão acompanhar de perto os jogos do atacante. “Uma comitiva já está na Espanha para o jogo contra o Barcelona. Depois, já seguem para Lisboa”, revela.

E, mesmo distante, Robson e os cidadãos de Lagarto prometem apoiar Diego Costa na final europeia. “Eu tenho até uma festa de casamento no dia 24. Mas vou dar um jeito. Não posso perder. Na cidade, tem uma mobilização de todos. Ninguém quer perder”.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave